Tamanho do texto

Pesquisa aponta que a quantidade de companhias com mais liberdade de jornada caiu 21 pontos no último ano

Pesquisa aponta que a quantidade de empresas no Brasil que possuem políticas de horários flexíveis de trabalho caiu 21 pontos percentuais no último ano. Segundo o levantamento realizado pela consultoria Grant Thornton, 62% das companhias privadas no País adotam horários diferenciados, ante os 83% registrados em 2010.

Os dados são do International Business Report 2011, levantamento realizado com CEOs, diretores, presidentes e outros executivos seniores de empresas espalhadas pelo mundo.

Mesmo com a redução no volume de empresas que adotam jornadas de trabalho flexíveis, o Brasil se posicionou acima da média global, 64%. De acordo com a consultoria, a criação de novas políticas ligadas ao horário de trabalho pode ser um fator positivo para a retenção de talentos.

Os países que mais se destacaram no estudo em relação à maior flexibilidade foram a Finlândia (92%), Suécia (86%), Austrália e Tailândia (85%). Os países Nórdicos e da América do Norte também se destacaram. Do total de entrevistados, 84% e 78%, respectivamente, afirmaram adotar essas práticas.

Os que se mostraram menos adeptos dos horários de trabalho flexíveis foram Japão (18%), Grécia (26%), Armênia (25%) e Malásia (39%). Dos entrevistados do conjunto de países pertencentes ao Bric (Brasil, Rússia, Índia, China), 59% afirmaram não adotar políticas de jornadas diferenciadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.