Tamanho do texto

Esperar pela resposta não é fácil, mas telefonar todos os dias para o recrutador cobrando pode ser motivo de eliminação

Quando passamos por um processo seletivo, principalmente para uma vaga que desejamos muito ocupar, não é fácil conter a ansiedade para saber o resultado. Os dias depois da entrevista parecem se arrastar e checamos nosso e-mail de cinco em cinco minutos na esperança de uma boa notícia.

Enquanto conseguimos manter esta expectativa para nós mesmos, tudo bem. O problema é quando o profissional está tão ansioso que acaba tomando atitudes sem pensar e se prejudica com ações como ligar todos os dias para o recrutador a fim de saber se conseguiu o tão esperado emprego.

Esperar pela resposta final de um processo seletivo não é fácil para ninguém, mas não adianta se precipitar
Thinkstock/Getty Images
Esperar pela resposta final de um processo seletivo não é fácil para ninguém, mas não adianta se precipitar

Atualmente, as empresas fazem os seus processos seletivos de diversas maneiras. Dependendo das normas de contratação da companhia, do nível da vaga disponível e da quantidade de candidatos, a resposta pode vir no mesmo dia e, em alguns casos, até mesmo no final da entrevista. Porém, em situações que envolvem menos urgência, um maior número de entrevistados e uma necessidade de ser mais criterioso na escolha do profissional, o resultado pode demorar até meses.

Veja também: O seu chefe é um psicopata?

Normalmente, os recrutadores conseguem estipular um prazo de quanto tempo a empresa vai demorar para decidir quem foi o selecionado e esta informação é passada logo no final da entrevista. “No entanto, muitas das informações que passamos, o candidato retém a metade. É nessa hora que vai gerar uma ansiedade, que é comum, principalmente para quem está desempregado", conta Zenilda Castilho, gerente da consultoria de RH Randstad na filial da Avenida Paulista.

O recomendável é que o profissional se concentre no que está sendo falado pelo selecionador e, caso haja alguma dúvida em relação ao prazo de retorno ou o meio pelo qual a empresa vai tentar contatá-lo, pergunte sem medo. “Se o recrutador não souber na hora, ele vai procurar a resposta depois e comunicar o candidato em seguida. O ideal é que você não pergunte ao longo do processo, para que você não perca o clima e o rumo da entrevista. O final é o momento de perguntas”, aconselha o consultor de RH Henry Novaes, da HProjekt.

O seu tempo não é o tempo da empresa

Ainda assim, por nervosismo ou inexperiência, algumas pessoas saem da entrevista sem saber quando será dado um retorno com a decisão final, ou não esperam nem um minuto a mais do prazo estipulado, e acabam tomando atitudes inadequadas, que podem por em risco a chance de ser selecionado.

“O número de ligações não vai acelerar o processo
sinais do estresse
“O número de ligações não vai acelerar o processo"

De acordo com a especialista em RH, Eliane Figueiredo, diretora presidente da Projeto RH, o maior erro de quem está aguardando uma resposta é ficar ligando para o recrutador constantemente cobrando uma decisão. “O número de ligações não vai acelerar o processo. Uma semana para uma pessoa que está aguardando resposta de um emprego é uma eternidade. Para uma empresa, uma semana é apenas uma semana”, observa a diretora.

Nesses casos, o candidato pode ser visto como impertinente pela companhia e ansioso demais. “A cada ligação, ele deve receber uma orientação. A gente começa a interpretar que ele talvez não saiba ouvir a mensagem que ele está recebendo.”, comenta Eliane.

A consultora Zenilda conta que há casos, inclusive, de pessoas que chegam a ir pessoalmente até a empresa para descobrir se passaram ou não em um processo seletivo. “Isso não vai ser visto como interesse ou desejo de trabalhar na empresa. Ela está pulando etapas e desrespeitando hierarquias. O recrutador vai entender aquilo como uma atitude sua comum no dia a dia do trabalho”, avisa.

Leia também: 20 empresas que agregam valor à sua carreira, segundo o Top Employers

Para evitar ser eliminado por causa da sua ansiedade após a entrevista, o profissional deve se manter calmo e levar em consideração que a empresa não pode dedicar todo o seu tempo para acelerar o processo. Além da seleção, os funcionários da companhia continuam trabalhando em outras questões.

Quando a empresa ultrapassa o prazo estipulado para lhe dar uma resposta, é válido que o candidato espere alguns dias como tolerância até entrar em contato. Se ainda assim não tiver uma posição do selecionador, o recomendável é que ele ligue ou mande um e-mail educado para a primeira pessoa que lhe contatou sobre a vaga de emprego, lembrando que o prazo acabou e que gostaria de saber se já existe uma definição da companhia. Caso ainda não exista, o profissional pode perguntar se há um novo prazo pelo qual ele precisa aguardar para conseguir a tão esperada resposta.

Em caso de resposta negativa, peça um feedback

Se depois de tanto tempo de espera a empresa decidir que você não é o candidato ideal, não se desespere e aproveite este momento para conseguir um aconselhamento de carreira. Agradeça pela oportunidade e pergunte o motivo de não ter sido escolhido, mas sem parecer arrogante. “O processo seletivo é também [uma oportunidade] para receber um feedback. A empresa vai falar se está faltando um curso de línguas ou uma pós-graduação. Se o candidato conseguir absorver isso, ele vai saber o que está errando no currículo e em sua carreira”, observa Novaes.

E mais: As 10 profissões com mais psicopatas

No entanto, é preciso lembrar que em alguns casos, principalmente quando há um grande número de candidatos, a empresa pode não ter tempo ou informações mais precisas para dar um retorno completo para o profissional que não foi contratado. De toda maneira, não se pode deixar desanimar por um não. Continue procurando e utilize aquele processo seletivo como uma experiência para se aprimorar para um próximo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.