Tamanho do texto

Decisão vale apenas para concurso da Polícia Militiar do DF e somente para o candidato que moveu a ação

Outros interessados que buscarem reverter situação semelhante devem entrar na Justiça
José Dionísio / Fotomontagem iG
Outros interessados que buscarem reverter situação semelhante devem entrar na Justiça

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que um candidato eliminado no exame psicológico do concurso da Polícia Militar do Distrito Federal poderia continuar no certame e, portanto, ser matriculado no curso de formação da corporação.

-Leia também: confira 16 dicas para se dar bem em concursos públicos

O entendimento da Primeira Turma do STJ é que o exame psicológico “pode ser utilizado como meio de apurar a saúde mental do candidato, mas jamais para excluí-lo do concurso”.

A decisão, anunciada nesta quinta-feira (6), foi tomada no dia 18 de fevereiro e deve ser publicada nos próximos dias. Ela vale apenas para esse concurso e somente para o candidato que moveu a ação.

Outros interessados que buscarem reverter uma situação semelhante, nesse ou em outros concursos no Distrito Federal ou em qualquer estado, também devem entrar na Justiça.

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) já havia decidido a favor do candidato anteriormente, mas o governo do Distrito Federal (GDF) entrou com recurso especial.

Os cinco ministros do STJ, incluindo o relator, Ari Pargendler, decidiram contrariamente a esse recurso. Outros, porém, ainda podem ser interpostos, caso seja do interesse do GDF.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.