Tamanho do texto

Para cada 100 mulheres em idade ativa, 55 participam do mercado de trabalho como ocupadas ou desempregadas

Boletim sobre o mercado de trabalho feminino divulgado pela Fundação Seade e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) nesta quinta-feira (6) aponta que o desemprego entre mulheres na região metropolitana de São Paulo diminuiu em 2013.

-Leia também: mercado de trabalho melhora em 2013 em ritmo menor do que em 2012

O índice passou de 12,5% para 11,7% no período. Segundo a Fundação Seade, essa é a menor taxa de desemprego total registrada nos últimos 24 anos.

O valor por hora recebido pelas mulheres no mercado de trabalho era de R$ 8,73 em 2013
Thinkstock/Getty Images
O valor por hora recebido pelas mulheres no mercado de trabalho era de R$ 8,73 em 2013

O boletim mostra também que a presença das mulheres no mercado de trabalho decresceu em 2013, após aumento no ano anterior. A taxa de participação feminina diminuiu de 56,1%, em 2012, para os atuais 55,1%.

Ou seja, para cada 100 mulheres em idade ativa, 55 delas participam do mercado de trabalho como ocupadas ou desempregadas [aquelas que procuram emprego].

De acordo com o Dieese, a diminuição da taxa de desemprego entre o público feminino se deve à estabilidade no nível de ocupação, somada à queda da presença das mulheres no mercado de trabalho. 

Remuneração subiu levemente

Para as mulheres, o valor por hora recebido pelo trabalho era de R$ 8,73 em 2013 — 0,8% superior ao registrado no ano anterior. Já para os homens, passou a equivaler a R$ 11,32, valor 1,3% menor do que o medido em 2012.

Essa variação diferenciada dos rendimentos do trabalho resultou na aproximação entre os rendimentos feminino e masculino. Em 2012, o rendimento médio por hora das mulheres correspondia a 75,5% do recebido pelos homens, proporção que passou para 77,1%, em 2013.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.