Tamanho do texto

Evite usar transparências e decotes na reunião da empresa, e use bom senso em relação a álcool e presentes

Brasil Econômico

No fim de ano, parece que as tarefas do dia a dia triplicam: é aquela correria para terminar os projetos no prazo, fazer compras de Natal e ainda dar uma passadinha em todas as festas de confraternização. Para quem não quer fazer feio na hora de se reunir com os colegas fora do horário de trabalho, a principal dica é discrição - seja no comportamento, na escolha da roupa e até mesmo no presente do amigo secreto.

“As festas de fim de ano são quase uma arapuca para os funcionários, na medida em que há muita comida e bebida, o que favorece uma série de deslizes. Mesmo parecendo uma festa especial, continua sendo profissional”, destaca Lícia Egger, consultora de imagem e etiqueta corporativa e autora dos livros “Etiqueta Corporativa: o sucesso com bons modos” e “Competência Social: mais que etiqueta uma questão de atitude”. “Dependendo da empresa, o chefe pode ver o 'show' do funcionário como um sintoma de que ele não é equilibrado. Se ele se comporta mal até mesmo na festa da empresa, imagina quando não tem ninguém olhando”, acrescenta.

Isso não significa que está proibido se divertir. Ao contrário: a ideia é fazer tudo com moderação. “Em tempos de redes sociais, nunca se sabe se tem gente tirando fotografias e registrando o que está acontecendo”, lembra. Até por isso é bom não errar na roupa. Por mais que seja uma confraternização depois do expediente, não é adequado as mulheres usarem roupas decotadas, transparentes ou curtas. “É um compromisso profissional. Nada de ir com roupa de balada”, diz. Já, no caso dos homens, o erro é ir informal demais - com camiseta e jeans, por exemplo.

Bia Kawasaki, consultora de moda e estilo, conta que, muitas vezes, o erro no vestuário acontece por falta de clareza no convite. “A área de recursos humanos tem de informar o tipo de traje, afinal, uma festa da MTV não exige o mesmo código que a de um banco”, compara. Mesmo se não vier especificado, o bom senso deve imperar. “Veja qual é a identidade visual da companhia - e tente se adaptar a esse estilo.”

Para mulheres, ela indica vestido tubinho, calça social e camisa social de seda ou com bordado, de festa. "O longo só deve ser usado se no convite vier indicado que é uma confraternização de gala ou black-tie. Mas existem alguns longos que não são de forma alguma recomendáveis - são aqueles maxiflorais que devem ser usados de dia", acrescenta. “Se a empresa for mais formal, não invente moda: nada de misturar um vestido laranja com sapato verde e bolsa pink. Quanto mais neutra e discreta, melhor.”

Bia também lembra que é importante fazer um check-up na higiene pessoal e reforçar a maquiagem, caso a festa comece logo após o expediente e não dê tempo de dar uma passadinha em casa. “Sempre oriento a passar uma sombra mais forte, retocar o pó para não chegar com brilho no rosto. Talvez seja interessante levar outra roupa”, diz. Já, no caso dos homens, o ideal é ir de camisa e calça social, além de levar o blazer e a gravata a tiracolo. “Vai que todo mundo está de terno, aí rapidamente você consegue ficar no mesmo estilo.”

No livro “Alô, Chics”, Glória Kalil dá dica de como cumprimentar o chefe na festa. “Poder ou não cumprimentar o chefe com beijos costuma ser uma dúvida muito comum. Pode; o que não significa que daqui para frente vai repetir o gesto toda vez que passar pela sala dele ou encontrá-lo nos corredores da empresa. É apenas uma saudação mais carinhosa num dia de festa que acontece uma vez por ano”, escreve a especialista.

Amigo secreto

Outro momento que pode provocar um deslize na etiqueta é na hora do amigo secreto. “É ótimo para criar novos laços de amizade, por isso não é muito elegante trocar papelzinho tentando encontrar alguém que você conheça. Isso mostra que é uma pessoa que não está aberta a fazer novos amigos”, comenta Lícia. A consultora indica a compra de presentes que não são muito pessoais , como livro e vinho. “Pode até se fazer uma lista de presentes, mas isso acaba com a surpresa. É uma brincadeira para compartilhar emoções e alegrias.”

Segundo Bia, independentemente do que se escolher, tem de ser um presente fácil de trocar. “Nada de inventar moda e comprar uma almofada de um artesão do bairro que não tem como trocar”, diz. Lenços de seda e bijuterias de metais foscos são boas opções para mulheres. Para os homens, é interessante comprar charuto (se for fumante) ou gravata.

Outra opção, para homens e mulheres, é presentear com uma boa garrafa de vinho. Mesmo que seu “amigo secreto” não seja fã da bebida, sempre é útil ter na adega de casa, principalmente nesta época do ano, em que muita gente acaba organizando festas. Por R$ 113 é possível comprar uma garrafa de Suberli Morelino di Scansano Riserva 2008 .“Também é importante ter cuidado com o embrulho e nunca diga ‘não repara, é só uma lembrancinha’, afinal, o que vale mesmo é a intenção”, diz Lícia.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.