Tamanho do texto

Bogotá, 10 mai (EFE).- O candidato à Presidência da Colômbia pelo partido La Voz de la Consciencia, Robinson Devia, iniciou hoje uma greve de fome por tempo indeterminado, por considerar que não tem garantias como candidato e por causa da "discriminação" da imprensa.

Bogotá, 10 mai (EFE).- O candidato à Presidência da Colômbia pelo partido La Voz de la Consciencia, Robinson Devia, iniciou hoje uma greve de fome por tempo indeterminado, por considerar que não tem garantias como candidato e por causa da "discriminação" da imprensa. "Hoje entramos em greve indefinida de fome e rejeição à falsa democracia colombiana", disse o candidato a jornalistas, acompanhado por cerca de 50 seguidores. Devia, de 37 anos, deu início a seu protesto na Praça de Bolívar, no centro de Bogotá. O candidato à Presidência disse que não comerá nada por um período indefinido até receber "garantias de equilíbrio". Ele conta com porcentagem zero de intenções de voto, segundo as pesquisas eleitorais. Segundo Devia, desde o início da atual campanha eleitoral ele foi discriminado "não só por alguns meios de informação, mas também pelas diferentes instituições do Estado, lideradas pelo presidente (Álvaro Uribe)". "O La Voz de la Cosciencia quer elevar sua voz de protesto sobre a violação dos direitos democráticos dos cidadãos colombianos, já que a legislação eleitoral carece de regulamentação que os proteja e permita uma participação democrática real, em verdadeiras condições de igualdade e equidade", disse Devia. Segundo ele, a "discriminação da imprensa negou ao povo colombiano a possibilidade de conhecer as nove opções que existem hoje para a Presidência". Devia conseguiu reunir mais de um milhão de assinaturas e aprovar sua candidatura à Presidência colombiana. EFE rrm/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.