Tamanho do texto

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), afirmou hoje que o acordo sobre os royalties do petróleo, anunciado ontem, é uma grande vitória para todo o País. O acordo altera o repasse dos recursos gerados pelos campos do pré-sal, mesmo em áreas já concedidas, beneficiando Estados e municípios não-produtores em detrimento de União e municípios produtores.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237575275431&_c_=MiGComponente_C

"Os municípios confrontantes com a produção vão continuar recebendo, mas com uma expectativa de receita menor", minimizou, respondendo à questionamentos sobre os prejuízos destes municípios. "Temos de fazer do pré-sal um fator de unidade brasileira, e não de disputa."

Campos citou a isenção de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) como uma medida que prejudicou Estados e municípios nordestinos, mas que foi aceita, segundo ele, por respeitar os interesses do Brasil. "O governo decidiu ajudar a indústria automobilística retirando receita de Estados e municípios, mas o Nordeste não tem indústria automobilística e contribui do mesmo jeito", comparou Campos, em entrevista após assinatura de contratos para a Refinaria Abreu e Lima, na sede da Petrobras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.