Tamanho do texto

Nafissatou Diallo tenta responsabilizar o ex-diretor do FMI por ter praticado atos de violência sexual contra ela

Nova York, 8 ago (EFE).- Nafissatou Diallo, a mulher que acusou o ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn por assalto sexual e tentativa de violação, apresentou nesta segunda-feira um processo civil contra o político e economista francês perante um tribunal de Nova York, informou a emissora "CNN".

"A senhora Diallo apresenta este processo civil para fazer valer seus direitos, reafirmar sua dignidade como mulher e responsabilizar Dominique Strauss-Kahn pelo ato deplorável que cometeu", assegura a defesa de Diallo perante a Corte Suprema estatal do Bronx.

O documento acusa Strauss-Kahn de atacar sexualmente Diallo de forma "sádica, proposital, brutal e violenta", e de "humilhar, degradar, violar e roubar sua dignidade como mulher", segundo detalhou o canal de televisão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.