Tamanho do texto

WASHINGTON - Congressistas da Câmara dos EUA revelaram detalhes dos gastos do projeto de estímulo de US$ 825 bilhões, incluindo financiamento para infraestrutura, investimentos em energia limpa, maior ajuda aos governos estaduais e aos mais afetados pela severa desaceleração da economia e US$ 275 bilhões em corte de impostos. As provisões detalhadas de gastos foram divulgadas pelo Comitê de Verbas da Câmara.

Os detalhes sobre os créditos tributários a serem incluídos no projeto devem ser divulgados em breve pelo Comitê de Meios e Recursos da Câmara.

Serão alocados US$ 90 bilhões em projetos de infraestrutura, que incluirão reparos em estradas, pontes e sistemas de esgoto; reformas em prédios federais e melhorias para torná-los mais eficientes em termos de energia; e projetos de trânsito público.

Para os mais afetados pela recessão prolongada, haverá US$ 43 bilhões em benefícios de seguro-desemprego estendidos e para pagar treinamentos para os desempregados; US$ 39 bilhões por meio do Programa Cobra para pagar custos médicos de curto prazo para os que perderam o seguro-saúde como resultado da perda de emprego; e US$ 20 bilhões para aumentar o financiamento para vale-alimentação.

Impostos

O projeto inclui US$ 275 bilhões em cortes de impostos, ligeiramente abaixo dos US$ 300 bilhões propostos pelo presidente eleito, Barack Obama. Congressistas da Câmara cortaram algumas das propostas de Obama para que as provisões tributárias coubessem no pacote de US$ 825 bilhões.

O projeto corta os impostos para muitos trabalhadores este ano por meio de um crédito tributário de US$ 500 que será gerado por meio da redução do imposto retido na fonte, uma proposta-chave de Obama.

A proposta também tornará o crédito tributário de US$ 1 mil por criança totalmente reembolsável para todos os pais, independentemente do nível de renda ou impostos devidos. Atualmente, esse crédito é limitado àqueles que estão na base da faixa de renda, com dívida tributária federal total inferior a US$ 1 mil.

Para as empresas, o pacote permitirá que as que tiverem prejuízo este ano recebam reembolso por impostos pagos retroativos até 2003. As regras tributárias atuais permitem que as perdas sejam retroativas a apenas dois anos. O projeto elevará ainda o limite sobre a quantia que as pequenas empresas poderão gastar com novas compras de equipamento.

O projeto não inclui o crédito tributário de US$ 3 mil que Obama propôs para novas contratações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.