Tamanho do texto

A Comissão Europeia solicitou nesta quinta-feira à França que modifique parcialmente sua legislação do 'escudo fiscal', criada pelo presidente Nicolas Sarkozy para evitar a evasão fiscal, assim como seu Imposto de Solidariedade sobre a Fortuna (ISF).

A Comissão Europeia solicitou nesta quinta-feira à França que modifique parcialmente sua legislação do 'escudo fiscal', criada pelo presidente Nicolas Sarkozy para evitar a evasão fiscal, assim como seu Imposto de Solidariedade sobre a Fortuna (ISF).

O executivo da União Europeia decidiu abrir a segunda etapa de um processo de infração contra a França, enviando um "aviso justificado" para que mude sua legislação e se adapte à norma europeia em um prazo de dois meses. Caso contrário, a Comissão pode levar o governo perante a justiça europeia.

A Comissão não questiona o princípio do 'escudo fiscal', que limita os impostos diretos até 50% da renda do contribuinte. No entanto, estima que "certos aspectos de sua aplicação são contrários ao direito europeu, sobretudo no que diz respeito às pessoas que podem se beneficiar e aos impostos que são cobrados em seu cálculo", explicou o executivo em um documento ao qual a AFP teve acesso.

Concretamente, a UE denuncia o fato de que o 'escudo fiscal' não se aplica a pessoas que não têm domicílio fiscal na França, mesmo que mantenham no país a maior parte de sua renda.

Esta limitação "vai contra a livre circulação de pessoas e trabalhadores", estimou Bruxelas.

slb/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.