Tamanho do texto

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio afirma já sentir a recuperação da economia norte-americana

O Brasil registrou superávit comercial de US$ 1,715 bilhão em fevereiro deste ano, informou esta quinta-feira o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O valor é o maior saldo comercial mensal registrado desde fevereiro de 2009, quando a cifra chegou a US$ 1,8 bilhão.

O saldo positivo também é 43,6% maior em relação ao registrado no mesmo mês do ano passado, quando atingiu US$ 1,194 bilhão. Em fevereiro de 2012, a exportação alcançou US$ 18,028 bilhões (13,4% superior ao mesmo período no ano passado) e a importação totalizou US$ 16,313 bilhões (10,5% maior do que fevereiro de 2011).

Em janeiro deste ano, a balança comercial registrou déficit de US$ 1,292 bilhão. No ano, o saldo acumulado é de US$ 423 milhões. O secretário-executivo do MDIC, Alessandro Teixeira, afirmou que a meta de exportações para este ano é de US$ 264 bilhões, o que representaria um crescimento de 3,1% sobre 2011, quando a cifra atingiu US$ 256 bilhões.

Ele explica que a meta de exportações para este ano foi estabelecida, entre outros pontos, a partir da previsão de aumento de venda de produtos manufaturados e da recuperação econômica dos EUA.

“A meta poderia ser mais ambiciosa? Sim. Mas temos ainda uma visibilidade clara em relação a União Europeia”, assinalou. “Mas já sentimos uma recuperação da economia americana desde o final do ano passado. E a tendência é que no segundo semestre se recupere mais”.

Segundo Teixeira, não foi estabelecida meta de importação, e, portanto de superávit. Porém, destaca que o Brasil terá superávit positivo, embora menor do que o do ano passado – quando a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 29,79 bilhões, o maior nos últimos quatro anos.

A secretária de comércio exterior do MDIC, Tatiana Prazeres, ressaltou que houve uma inversão no perfil da exportação. Ela apontou que as vendas para o exterior foram puxadas por produtos manufaturados, enquanto ao longo do ano passado o carro-chefe do crescimento das exportações foram itens básicos , o que não acontece desde 2005.

“As exportações de produtos industrializados cresceram 20%, ao passo que as exportações de básicos cresceram 6,6%”, pontuou. A secretária também destacou que, pelo segundo mês consecutivo, as exportações para o mercado americano superaram as exportações para a China – principal parceiro comercial do Brasil.

Em janeiro, o País exportou US$ 1.810 bilhão China e US$ 2.381 bilhão para os Estados Unidos. Este mês, as exportações para a China atingiram US$ 2.176 bilhão, enquanto os norte-americanos compraram US$ 2.264 bilhão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.