Tamanho do texto

Instituição projeta crescimento menor para financiamentos neste ano

O Bradesco já prevê uma desaceleração no ritmo de concessões de crédito neste ano. Em evento para investidores do Bradesco em São Paulo, Lázaro Brandão, presidente do conselho de administração do banco, afirmou que o crescimento do crédito deve ficar na faixa entre 13% e 15% neste ano.

Apesar disso, o banco não reviu sua projeção de crescimento da carteira de crédito para o ano, que se mantém entre 15% e 19% na comparação com o ano passado. A carteira de pessoas físicas deve ser a que menos crescerá, ficando entre 13% e 17%.

A menor expansão do crédito se dará por causa da crise internacional, somada às medidas de contenção aos empréstimos e financiamentos anunciadas pelo Banco Central no fim do ano passado. Brandão, porém, diz acreditar que o Brasil não sofrerá grandes impactos do cenário externo.

"O país está mais preparado do que estava antes. E, se precisar, o Banco Central pode agir rapidamente durante a crise com a liberação do compulsório. São recursos dos próprios bancos, que não custam ao governo", afirmou Brandão.

Em relação à inadimplência, Brandão disse que não espera "movimentos importantes". O banco trabalha com um cenário de manutenção do patamar atual da carteira, que estava em 3,7% em junho. Questionado sobre a possibilidade de o Bradesco adquirir concorrentes, Brandão descartou que o banco vá às compras. "O panorama já está definido."