Tamanho do texto

SÃO PAULO - Depois de uma hora de operações, o mercado acionário brasileiro segue no campo positivo, acima dos 70 mil pontos, na mesma trajetória estabelecida pelas bolsas europeias e americanas. Por volta das 11 horas, o Ibovespa subia 0,63%, a 70.383 pontos, com giro de R$ 818 milhões.

Já o índice futuro avançava 0,48%, a 70.800 pontos.

Ontem, o índice fechou com valorização de 1,33%, aos 69.942 pontos, com giro de R$ 5,182 bilhões. No encerramento do último pregão, a BM & FBovespa informou que registrou o maior volume diário do ano em contratos negociados no segmento BM & F, com um total de 4.155.992 contratos. O recorde histórico data de 17 de abril de 2008, quando foi movimentado um total de 4.355.624 contratos.

Nos Estados Unidos, enquanto o índice Dow Jones subia 0,41%, o Nasdaq avançava 0,52% e S & P 500 tinha alta de 0,51%.

Dentro do Ibovespa, Vale PNA concentrava o maior volume negociado, com giro de R$ 74,37 milhões. As ações subiam 0,45%, há pouco, a R$ 48,05. Já os papéis Petrobras PN avançavam 0,37%, a R$ 37,75, com volume de R$ 59,5 milhões.

A Petrobras anunciou ontem mais uma descoberta de petróleo perto de uma área onde já tem estrutura montada de produção na bacia de Sergipe, o que reduz custos e eleva a velocidade de exploração. A empresa descobriu uma acumulação de óleo leve com potencial de reservas estimado em 15 milhões de barris. Trata-se de um volume recuperável pequeno comparado aos gigantes do pré-sal, onde a menor estimativa de reservas até agora - em Guará, na bacia de Santos - varia entre 1,1 bilhão e 2 bilhões de barris.

A empresa divulgará na sexta-feira, depois do fechamento do mercado, o balanço financeiro relativo a 2009. Inicialmente a divulgação aconteceria no dia 26 de fevereiro, mas foi adiada na véspera por problemas de agenda dos conselheiros da companhia, que têm de se reunir para aprovar os números.

Há instantes, entre as maiores altas do índice, estavam os papéis ON da Fibria, que avançavam 2,80%, a R$ 38,09, seguidos pelas ações PNB da Cesp, com ganhos de 1,43%, a R$ 24,70, e pelos papéis PN da TAM, com valorização de 1,21%, a R$ 30,73.

Tendo em vista a alta das commodities, também apresentam elevação os papéis PNA da Usiminas, com apreciação de 1,15%, a R$ 57,56, e as ações PN da Gerdau, com ganhos de 1,14%, a R$ 28,28.

No sentido contrário, destaque de baixa para as ações do setor de telecomunicações. Enquanto os papéis ON da TIM Participações recuavam 1,56%, a R$ 7,55, os PN da Telemar caíam 0,77%, a R$ 33,44, e os ON da empresa cediam 0,37%, a R$ 39,80. Também registram queda as ações PNA da Telemar, com recuo de 0,26%, a R$ 52,90.

Também figuram entre os maiores volumes negociados os recibos de ações da Laep, com giro de R$ 41,7 milhões, queda de 0,61%, a R$ 1,62.

Ainda no cenário corporativo, o Bradesco captou ontem no mercado externo US$ 750 milhões em
títulos de vencimento em cinco anos e pagou rendimento de 4,101% ao ano pelos papéis. Segundo bancos, a demanda foi de três vezes o total da oferta, o que permitiu ao Bradesco baixar o rendimento dos iniciais 5% ao ano propostos para 4,101%, o equivalente a 175 pontos básicos sobre os títulos do Tesouro dos EUA.

Há pouco, os papéis PN do Bradesco aumentavam 0,59%, a R$ 32,22.

No câmbio, depois de subir 0,16% ontem, pela primeira vez em seis pregões, o dólar perde força para o real nesta jornada. Há instantes, a moeda americana declinava 0,39%, a R$ 1,761 na venda.

(Beatriz Cutait | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.