Tamanho do texto

SÃO PAULO - Com Nova York apontando alta, os investidores por aqui se sentiram confortáveis para voltar a atuar na ponta compradora da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Por volta das 14h10, o Ibovespa apontava valorização de 2,01%, aos 40.

937 pontos, com giro financeiro em R$ 1,92 bilhão.

Em Wall Street, dados econômicos e balanços trimestrais negativos foram deixados de lado e, há pouco, o Dow Jones apontava alta de 0,34%, enquanto o Nasdaq subia 0,98%.

Seguindo a virada de humor, mas em direção oposta, o dólar voltou a perder valor ante o real, mas não parece ter força para ir abaixo dos R$ 2,30. Há pouco, a moeda norte-americana valia R$ 2,306 na venda, queda de 0,08%.

Dentro do Ibovespa, o destaque segue com as ações da Vale, que lideram o volume negociado, avançando 4,39%, para R$ 31,37. O ativo ON subia 5,19%, a R$ 37,29. Os agentes seguem crentes em uma retomada de demanda por minério e metais na China.

Tal expectativa também dá fôlego às siderúrgicas nos últimos dias. Depois de um passeio pelo território negativo, CSN ON subia 2,93%, a R$ 38,62. Gerdau PN ganhava 2,02%, a R$ 16,65, e Usiminas PNA aumentava 1,84%, a R$ 30,35.

Os bancos também firmaram alta, com Bradesco PN se valorizando 1,91%, para R$ 21,30. Itaú PN ganhava 1,66%, a R$ 23,80, e Banco do Brasil ON tinha acréscimo de 1,36%, custando R$ 14,15.

Na ponta vendedora, Rossi ON caía 2,5%, para R$ 3,89, depois de apontar queda acentuada nas vendas contratadas do quarto trimestre. Ontem, o papel afundou 16,7%. Baixa de 1,66% para Brasil Telecom Part PN, que valia R$ 14,73.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.