Tamanho do texto

Os principais índices do mercado de ações europeu fecharam em baixa, reagindo à divulgação dos balanços trimestrais da General Electric e do Bank of America, que trouxeram números mais fracos que os esperados por investidores. Na semana, porém, os índices em geral subiram.

Mais cedo, a GE apresentou uma receita menor que a prevista para o terceiro trimestre, enquanto o Bank of America divulgou um prejuízo maior que o estimado para o período.

Para o gerente de carteiras de investimento Chad Deakins, do RidgeWorth International Equity Fund, a temporada de balanços "será mista e isso é saudável", porque evita um excesso de otimismo no mercado e reforça a seletividade. O índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 caiu 0,69%, para 245,58 pontos, embora tenha acumulado alta de 1,2% na semana. Nos mercados regionais, o índice FTSE-100 da Bolsa de Londres perdeu 0,63%, para 5.190,24 pontos, mas acumulou alta de 0,55% na semana. Em Frankfurt, o índice Xetra-DAX caiu 1,50%, a 5.743,39 pontos. Na semana, o índice ganhou 0,55%. Na Bolsa de Paris, o CAC-40 recuou 1,45%, para 3.827,60 pontos, e acumulou alta de 0,74% na semana. Em Madri, o índice Ibex-35 fechou em baixa de 1,46%, a 11.676,40 pontos, e perdeu 0,57% na semana.

As ações do setor financeiro apresentaram algumas das perdas mais acentuadas da sessão. O HSBC Holdings caiu 2% e o BNP Paribas recuou 2,7%. O Lloyds Banking Group foi uma das exceções, subindo 1,9% em Londres após ter a recomendação de seus papéis elevada pelo Deutsche Bank. O segmento de energia foi beneficiado pelo fato de o petróleo ter conseguido até agora sustentar um preço superior a US$ 77 por barril. A Royal Dutch Shell ganhou 1,1%, a Total avançou 0,7% e a Lundin Petroleum subiu 3,1%.

Entre as empresas de tecnologia, as ações da Ericsson fecharam em alta de 2% após a joint venture Sony Ericsson anunciar que obteve um prejuízo menor no terceiro trimestre em comparação ao trimestre anterior. Na comparação com igual período do ano passado, porém, o prejuízo foi maior. No setor automobilístico, a Volkswagen anunciou um aumento de quase 12% nas vendas de setembro, mas recuou 2% após alertar que 2010 será um "ano difícil", particularmente para as operações da montadora na Europa Ocidental. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.