Tamanho do texto

SÃO PAULO - A maioria da ações das bolsas de valores da Europa fechou em queda nesta quarta-feira, com o mercado retornando a um clima pessimista diante dos dados negativos que evidenciam efeitos da crise sobre a economia real dos países da região. A notícia de que o Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido teve contração de 1,5% no quarto trimestre de 2008, após decréscimo de 0,7% nos três meses antecedentes, mexeu com os mercados europeus.

O resultado, confirmado pelo governo do país hoje, foi o pior desde o segundo trimestre de 1980 e evidencia recessão econômica, situação que não era verificada desde 1991.

A Alemanha, que já havia anunciado declínio da economia no início do mês, também teve a confirmação dos dados preocupantes. O PIB alemão encolheu 2,1% entre outubro e dezembro do ano passado em relação aos três meses antecedentes, quando cedeu 0,5%, respeitando ajuste de preço, sazonal e de calendário.

Outro indicador que abalou o humor dos investidores foi divulgação da retração das revendas de casas nos EUA, que cederam 5,3% em janeiro, para uma taxa anual de 4,49 milhões de unidades, a leitura mais fraca desde julho de 1997.

O banco privado suíço EFG International foi um dos destaques de perdas desta sessão, com suas ações caindo 36%, depois que a instituição divulgou uma perspectiva de queda de 69% no lucro líquido em 2010. A ação da empresa farmacêutica Novartis também retraiu, caindo 1,5%, diante das projeções da companhia de que os resultados do primeiro trimestre deste ano sofrerão impactos severos da alta do dólar
O CAC- 40, índice de Paris, encerrou as operações em queda de 0,41% aos 2.696,92 pontos. Em Frankfurt, o DAX recuou 1,27%, aos 3.843,21 pontos. A exceção ficou com o londrino FTSE-100, que fechou com leve alta de 0,85%, aos 3.848,98 pontos.

(Vanessa Dezem | Valor Online com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.