Tamanho do texto

A perspectiva de que o Federal Reserve (Fed, banco central americano) pode aumentar os juros antes do esperado, provocada pela divulgação de dados mais fortes que o previsto sobre o mercado de trabalho norte-americano, dava impulso ao dólar e pesava sobre os preços dos Treasuries e os índices acionários dos EUA, embora os últimos operem perto da estabilidade antes do fechamento. Às 18h05 (de Brasília), o Dow Jones - que chegou a subir 150 pontos na sessão - ganhava 9 pontos, ou 0,09%, para 10.

375 pontos. O Nasdaq avançava 0,66%, para 2.187 pontos, enquanto o S&P 500 tinha alta de 0,30%, para 1.103 pontos.

No mercado de câmbio, o euro caía para US$ 1,4837, de US$ 1,5075 na quinta-feira, enquanto o dólar subia para 90,61 ienes, de 88,22 ienes ontem. Entre os Treasuries, o juro projetado pela T-note de 10 anos estava em 3,481%, de 3,372% ontem. Os juros dos Treasuries seguem um movimento inverso em relação aos preços.

Pela manhã, o Departamento de Trabalho do país informou que, em novembro, houve uma perda líquida de 11 mil postos de trabalho na economia norte-americana. A queda foi significativamente menor do que a registrada em outubro, quando houve corte de 111 mil empregos, em dado revisado.

O órgão anunciou também que a taxa de desemprego dos EUA caiu para 10% em novembro, de 10,2% em outubro. Analistas esperavam que a taxa permanecesse em 10,2% - o maior nível desde abril de 1983.

Os dados impulsionaram os índices de ações, reforçando a ideia de que a economia do país continua se recuperando. Essa mesma perspectiva, no entanto, gerou preocupações com um potencial aumento na inflação e colocou um eventual aumento nas taxas de juro dos EUA no horizonte do mercado.

A taxa básica de juro norte-americana está entre zero e 0,25% desde dezembro do ano passado. Isso auxiliou diversas companhias - principalmente do setor financeiro - e teve uma influência positiva sobre o mercado de ações, além de pesar sobre o dólar, que passou a ser utilizado como moeda de financiamento para aplicações em ativos de maior risco.

"Este incrível estímulo monetário vai ter de acabar em algum momento", disse Jonathan Vyorst, gerente de carteiras de investimento da Paradigm Capital Management. "Este relatório sobre emprego lembra as pessoas disso e estimula uma reorganização das carteiras."

Alguns operadores, no entanto, não demonstraram tanta preocupação com o impacto de um potencial aumento dos juros no mercado de ações. "Se o Fed implementar uma série de aumentos de 0,25 ponto porcentual, o mercado vai conseguir digerir isso, porque acontecerá em meio a uma recuperação generalizada", disse Elizabeth Miller, presidente da Summit Place Financial Advisors.

No entanto, ainda pairam dúvidas sobre qual será a velocidade e a magnitude dos potenciais apertos monetários do banco central. Segundo Miller, uma mudança dramática nos juros poderia ser "devastadora, embora não consiga imaginar um cenário em que eles fariam isso". As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas