Tamanho do texto

As Bolsas de Nova York abriram em baixa hoje, mesmo após o dado de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos ter vindo levemente melhor do que o esperado. Às 12h33 (de Brasília), o Dow Jones caía 0,62%, o Nasdaq recuava 0,90% e o S&P 500 cedia 0,75%.

O número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego ficou estável em 505 mil na semana até 14 de novembro, contrariando a previsão média de aumento de 4 mil.

A agenda de indicadores dos EUA hoje traz ainda o índice de indicadores antecedentes de outubro, do Conference Board, e o índice de atividade industrial regional de novembro, do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) de Filadélfia, ambos às 13 horas. O jornal britânico Daily Telegraph trouxe uma reportagem destacando uma nota recente do Société Générale, na qual o banco dava conselhos sobre como lidar com o pior cenário: venda dólar, compre bônus do governo e ações de companhias defensivas, como telecomunicações e serviços públicos, venda ações europeias e compre commodities agrícolas.

O setor de tecnologia liderou o declínio dos mercados ontem, em meio a preocupações com os resultados da Salesforce.com e da Autodesk. Os papéis do setor devem estar hoje mais uma vez no foco, após o Bank of America Merrill Lynch rebaixar oito fabricantes de microchips, entre elas a Intel e a Texas Instruments. As ações de ambas caíam em torno de 3,50% cada uma. O banco citou preocupações com o nível dos estoques, que pode subir demais caso não haja uma recuperação das economias globais. Sears subia mais de 4%. Embora tenha apresentado prejuízo trimestral de US$ 127 milhões, o resultado veio melhor do que muitos previam. Após o fechamento, divulgarão balanços a Gap e a Dell. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.