Tamanho do texto

As principais bolsas da Europa tiveram fechamento divergente nesta terça-feira, com os investidores menos animados para dar continuidade às altas de segunda-feira após a divulgação de dados negativos sobre a economia europeia. O destaque do dia foi a Bolsa de Londres, que fechou em baixa, pressionada pelos setores de mineração e petróleo.

O índice FTSE-100, de Londres, perdeu 41,35 pontos, ou 1,05%, a 3.911,46 pontos, puxado por quedas expressivas no setor de mineração, com destaque para Antofagasta (-8,02%), Anglo American (-6,66%), BHP Billiton (-4,84%), Kazakhmys (-6,59%), Xstrata (-5,63%) e Rio Tinto (-2,23%). As ações dessas companhias foram pressionadas pelo declínio dos preços dos metais, como o cobre, provocado por realizações de lucro sobre os ganhos de segunda-feira. Entre as petroleiras, BP perdeu 0,84% e Royal Dutch Shell recuou 2,5%.

Em Frankfurt, o índice Xetra-DAX subiu 10,99 pontos, ou 0,26%, a 4.187,36 pontos. Em Paris, o CAC-40 subiu 4,82 pontos, ou 0,17%, a 2.874,39 pontos. Em Madri, o Ibex-35 avançou 37,20 pontos, ou 0,47%, a 7.989,50 pontos.

David Scott, corretor sênior da Redmayne-Bentley Stockbrokers, disse que a queda nas ações das mineradoras representa mais uma realização de lucros que uma mudança na perspectiva do setor. Ele considera que as commodities (matérias-primas) podem ser as primeiras a subir assim que os investidores detectarem sinais mais claros de recuperação da economia, mas isso ainda é algo distante.

Dados divulgados hoje na Europa mostraram uma surpreendente aceleração da inflação ao consumidor no Reino Unido para 3,2%, em fevereiro e queda de 2% nos gastos dos consumidores na França em fevereiro, ante janeiro. A Markit Economics informou que a economia da zona do euro se contraiu em ritmo menos acelerado em março, com a atividade nos setores de serviços e industrial caindo com menos força, mas as empresas relataram que cortaram empregos pelo nono mês consecutivo. A Markit Economics também disse que os dados sugerem que o produto interno bruto (PIB) do primeiro trimestre deverá cair mais que o 1,5% registrado no quarto trimestre de 2008.

Entre outras altas do dia na Europa, as ações da ArcelorMittal subiram 7,61% na Bolsa de Paris depois que a empresa lançou 1,1 bilhão de euros (US$ 1,5 bilhão) em bônus conversíveis e reafirmou sua perspectiva de lucro no primeiro trimestre. A companhia informou por meio de comunicado que continua a prever lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de cerca de US$ 1 bilhão no período, com margem 15% acima ou abaixo desse valor.

Ainda em Paris, as ações do grupo de equipamentos para telecomunicações Alcatel-Lucent subiram 13,1% depois de a empresa vencer uma licitação da China Unicom para instalação de equipamentos de terceira geração.

Em Frankfurt, as ações do Deutsche Bank subiram 4,5% depois de o banco dizer que não necessitará levantar mais capital. O Credit Suisse, que reportou um bom início de ano, viu suas ações caírem 3,3% em Zurique. Ainda na Alemanha, as ações da varejista Metro AG caíram 3,3% uma vez que a empresa informou aumento de 5% no lucro do quarto trimestre, mas não forneceu previsões para 2009, nem detalhes sobre o custo de seu plano de reestruturação. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.