Tamanho do texto

O pessimismo externo provocado ainda pela falta de detalhes sobre o plano de resgate das instituições financeiras nos EUA e dúvidas quanto aos efeitos positivos do plano de estímulo econômico contaminam a abertura do pregão da Bolsa de Valores de São Paulo hoje. O índice Bovespa abriu a sessão em baixa e registrava perda de 1,78% a 40.

119 pontos, às 11h10, na mínima.

A aversão ao risco é reforçada esta manhã pela desvalorização do preço do petróleo e dos metais, o que deve puxar para baixo as cotações das ações da Vale e Petrobras às vésperas do vencimento de opções sobre ações e de índice futuro. Petrobras PN caía 1,60% nos primeiros negócios e Petrobras ON cedia 1,79%. Vale PNA registrava baixa de 2,64% e Vale ON, -2,79%.

A preocupação com a demanda fraca mantém os investidores acuados. Ontem, as ações da Vale engataram o seu terceiro dia seguido de baixa. As perdas foram aprofundadas durante à tarde, após declarações do executivo-chefe da ArcelorMittal, Lakshmi Mittal, de que os preços do minério de ferro devem cair de forma acentuada ao longo de 2009, devido à diminuição da demanda por aço.

"O mercado de ações está voltando às origens", resumiu um analista, referindo-se ao comportamento negativo da Bolsa. "Os investidores vinham comprando expectativas positivas e agora se dão conta de que era só um sonho. A realidade tomou o lugar da esperança", acrescentou a mesma fonte.

Para completar, o mercado está com expectativas pessimistas em relação ao dado de vendas no varejo de janeiro que será divulgado nos EUA daqui a pouco, às 11h30. A previsão é de queda de 0,8% nas vendas. No mesmo horário também saem os pedidos semanais de auxílio-desemprego.

Nos EUA, o Nasdaq futuro registrava baixa de 0,73% e o S&P 500 futuro recuava 1,09%, às 11h06. Na Europa, os balanços fracos divulgados pela Renault, pela empresa de telecomunicações britânica BT Group e pela Électricité de France (EDF) exercem pressão adicional nas bolsas. Em Frankfurt, a bolsa cedia 1,98%, Paris recuava 1,55% e Londres -1,26%. Na Ásia, as perdas foram bem fortes. O índice Nikkei da Bolsa de Tóquio fechou em baixa de 3,30% nesta quinta-feira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.