Tamanho do texto

O chefe do Departamento de Telecomunicações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Alan Fischler, disse há pouco que há tempo hábil para que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) analise a compra da Brasil Telecom pela OI antes da data limite definida pelas empresas para a conclusão do negócio - 21 de dezembro. Eu, pessoalmente, acho que dá tempo, disse Fischler, ao participar do seminário o Futuro das Telecomunicações, na Câmara dos Deputados.

Na sua opinião, cabe à Anatel definir o tempo necessário para a avaliação da operação. Segundo ele, se a Agência precisar de um tempo adicional para o exame da transação, extrapolando o prazo de 21 de dezembro, as duas empresas tem que sentar e resolver a questão. A Anatel só começará a examinar o negócio depois que o governo editar um decreto com o novo Plano Geral de Outorgas (PGO)eliminando as restrições legais à operação. A expectativa é de que este decreto seja editado ainda este mês.

O chefe do Departamento de Telecomunicações do BNDES acha justo que a agência exija contrapartidas das duas empresas para a aprovação do negócio. "Mas acho que a agência não vai exigir contrapartidas que sejam impossíveis de serem cumpridas", afirmou.

O BNDES,um dos acionistas da OI, fez um aporte de recursos para a reestruturação da companhia, como medida que antecedeu o anúncio da compra da Brasil Telecom. O chefe do Departamento do BNDES disse não acreditar que a crise financeira mundial possa reduzir os investimentos no setor de telecomunicações no Brasil. "Acho que os investimentos serão mantidos porque a demanda existe", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.