Tamanho do texto

Banco lucrou R$ 5,3 bilhões até junho; desembolsos somaram R$ 56 bilhões no semestre e previsão é de R$ 147 bilhões no ano

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) registrou lucro líquido de R$ 5,3 bilhões no primeiro semestre deste ano, número 47,8% superior ao apurado no mesmo período do ano passado.

O número é o maior da história do banco para um primeiro semestre. Segundo a instituição, o ganho é resultado da gestão da carteira de renda variável e redução da inadimplência, que caiu de 0,15% em dezembro para 0,12% em junho.

De janeiro a junho deste ano, o BNDES desembolsou R$ 55,8 bilhões, queda de 6% em relação ao mesmo período do ano passado.Nos últimos 12 meses, as liberações somaram R$ 139,9 bilhões, queda de 9% na comparação com o mesmo período imediatamente anterior.

"O resultado está em linha com o que tínhamos programado. Tivemos uma primeira participação durante o período de crise no mercado de crédito. Em 2010, estabilizamos e este ano abrimos espaço para a entrada do setor privado (nas concessões de empréstimos)", afirmou Luciano Coutinho, presidente do BNDES,.

Para o ano, o banco prevê desembolsos entre R$ 145 bilhões e R$ 147 bilhões.

Já os pedidos de carta consulta amargaram uma redução de 23% somando R$ 90,998 bilhões. Segundo Coutinho, a redução se deve à forte base de comparação com o mesmo período do ano passado, que foi impulsionado pelo Programa de Sustentação do Investimento (PSI).

O executivo disse ainda que essa retração não preocupa, já que a carteira de projetos em infraestrutura deve continuar a demandar muitos investimentos. Entretanto, ele explicou que o banco vai monitorar na próxima semana os possíveis efeitos que a crise poderá ter sobre os investimentos no Brasil.

(Com agências)