Tamanho do texto

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai se reunir hoje, no Rio, com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, para uma avaliação da política industrial adotada no País em 2008, a chamada Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP). Em reunião a portas fechadas, assessores de Coutinho e diretores do banco apresentarão a Lula um balanço do que avançou e do que não funcionou.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai se reunir hoje, no Rio, com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, para uma avaliação da política industrial adotada no País em 2008, a chamada Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP). Em reunião a portas fechadas, assessores de Coutinho e diretores do banco apresentarão a Lula um balanço do que avançou e do que não funcionou. <p><p>Uma das principais metas da PDP para 2010, a taxa de investimento fixo da economia deverá ser também a maior frustração do balanço. Há dois anos, o governo projetou como meta alcançar investimento de 21% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2010. No entanto, a crise econômica levou ao adiamento dos investimentos, principalmente na indústria, atrapalhando os planos. <p><p>Mesmo com todas as medidas anticíclicas e a criação de linhas de financiamento mais atrativas para a aquisição de bens de capital, a taxa fechou 2009 em 16,7% do Produto Interno Bruto (PIB). Uma projeção da área de pesquisa econômica do BNDES indica que a meta da PDP só será superada em 2012. O banco estima que a taxa de investimento ficará em torno de 20% em 2011 e chegará a 21,2% no ano seguinte. <p><p>A fixação da meta na PDP vinha de uma preocupação do governo de promover o crescimento sustentado, com aumento do investimento à frente da expansão do PIB. Entre as outras metas da PDP que serão avaliadas pelo presidente, estão a elevação do investimento das empresas privadas em pesquisa e desenvolvimento (P&D), a ampliação da participação brasileira nas exportações mundiais e a dinamização das micro e pequenas empresas como exportadoras. Participarão da reunião no BNDES o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Miguel Jorge, e o ministro da Fazenda, Guido Mantega. As informações são do jornal <b>O Estado de S. Paulo.</b>
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.