Tamanho do texto

Blindar PC exige vários programas Por Juliana Rocha e Bruno Galo São Paulo, 18 (AE) - Assim como acontece entre os seres vivos, as ameaças à saúde de nossos computadores evoluem com grande rapidez. Nos idos de 1999, quando o hacker David Smith criou o Melissa, considerado o primeiro grande vírus após o advento da internet, bastava um único programa para blindar o PC.

Hoje, para se proteger dos espiões e ladrões de identidade à espreita na rede, além do antivírus é preciso ter antispam, firewall, antiphishing...

Para ter uma ideia, segundo levantamento feito pelo Kasperky Lab, fabricante de pacotes de segurança da Rússia, de 2007 para 2008 o número de novos malwares surgidos a cada 2 minutos saltou de 5 para 60.

A boa notícia é que há opções gratuitas, mas nenhuma reúne todas as proteções necessárias. Apenas as soluções pagas entregam tudo em um só pacote. Nesta página, mostramos como proteger o PC sem gastar nada.

Os antivírus gratuitos mais populares (AVG, Avast e Avira) oferecem proteção contra até cinco dos nove principais tipos de ameaças digitais. É preciso combiná-los com outros programas, como firewalls e softwares que identificam a veracidade de páginas da rede e também têm versões com custo zero.

O técnico em eletrônica Douglas Marcel Horvat, de 28 anos, optou pelo AVG, que tem uma versão gratuita para usuários domésticos. "Pesquisei na web e me informei em fóruns", diz Douglas. Antes, havia passado pelo Avast e pelo Norton (só tem versão paga).

CONTRA O PHISHING - Hoje são mais comuns o roubo de senhas, nomes de usuário e informações bancárias por sites falsos, os chamados phishing. O internauta recebe um link por e-mail, mensagem de comunicadores instantâneos (MSN, Gtalk) ou até scraps de redes sociais. Ao clicar, entra num site falso que pede alguns de seus dados pessoais, imediatamente redirecionados a um criminoso digital.

Para se proteger, o internauta deve instalar um aplicativo como o Google Safe Browsing ou o McAfee Site Advisor.

O primeiro é um complemento para o navegador Firefox. Uma vez instalado, ele realiza uma checagem do endereço digitado ou clicado antes de abri-lo. Caso o site para onde o internauta esteja se dirigindo seja falso ou esteja temporariamente comprometido com um código malicioso, um ícone vermelho ao lado do endereço dá o alerta.

No McAfee Site Advisor, o aviso toma a forma de um botão na parte superior da tela do browser. Quando o usuário faz uma busca usando sites como www.yahoo.com, www.ask.com ou o próprio www.google.com, ele ainda mostra ao lado dos resultados um sinal verde ou um "X" vermelho conforme a legitimidade do endereço. O aplicativo também funciona com o Internet Explorer.

CHEGA DE SPAM - Para se proteger de spams - emails indesejados que com frequência contêm anexos ou links suspeitos -, a melhor alternativa é escolher um bom webmail (serviço de email online). Embora provedores nacionais tenham melhorado suas armas contra mensagens indesejadas, a maioria ainda se apoia principalmente em técnicas que requerem uma ação humana - como a confirmação de envio de uma mensagem ou a denúncia de remetentes suspeitos.

Já serviços como o Yahoo!Mail e o Gmail contam com bloqueios que combinam diferentes técnicas de análise das mensagens eletrônicas - desde a consulta a bancos de dados de remetentes suspeitos a checagem por palavras no campo assunto. O filtro é automático, mas é possível melhorá-lo, avisando ao serviço quais remetentes são indesejados.

Se você não abre mão de um programa de gerenciamento de e-mails instalado em seu PC, como o Thunderbird (Fundação Mozilla) ou o Outlook (Microsoft), não tem problema. Pode configurá-los para receber e enviar mensagens de diferentes webmails: após criar a conta no serviço online preferido, abra o software, clique em Configurações de Conta e preencha os dados de login e senha do usuário. As mensagens enviadas e recebidas continuarão a ser filtradas pelo antispam do webmail.

É bom lembrar que o internauta deve aprender a identificar phishing e spam por conta própria, evitando abrir anexo ou clicar em link cuja procedência não seja 100% conhecida.

E O TAL FIREWALL? - Nos dias de hoje, com PCs sempre conectados à banda larga, não é difícil um hacker invadir uma máquina para fins diversos. A forma de impedir isso é acionar um firewall ("cortina de fogo"), que são como porteiros digitais: antes de autorizar qualquer acesso à sua máquina, verificam se há permissão para aquela ação.

O Windows XP e Vista já vêm com firewall embutido e acionado. Do contrário, é preciso buscar uma solução gratuita (veja teste do Comodo abaixo) ou optar por um pacote completo de segurança.

Finalmente, uma navegação segura exige a atualização constante de todos os softwares instalados no seu PC, inclusive do sistema operacional, pois eles podem conter falhas de segurança posteriormente corrigidas. Segundo o pesquisador da Universidade de Brasília (UnB), Pedro Rezende, "a escolha do antivírus pode até ser irrelevante" diante de falhas no sistema operacional ou em outros softwares.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.