Tamanho do texto

Foram realizados 3.122.843 pedidos alcançando a marca de R$ 1.536.580.634, alavancado pelas compras de eletrodomésticos

A 6ª edição da Black Friday brasileira fechou com saldo bastante positivo. Mesmo com a ocorrência de uma série de problemas anunciados, o evento varejista terminou as 24 horas de descontos com alta de 76% em relação a 2014 e ainda com um terço a menos de reclamações de clientes comparado ao ano passado. Os números são, respectivamente, do Busca Descontos, organizador da versão brasileira da Black Friday este ano, e do Reclame Aqui, site de referência de avaliação de lojas pelo consumidor.

Sites das grandes varejistas, no geral, não tiveram muitos problemas de instabilidade
iStock
Sites das grandes varejistas, no geral, não tiveram muitos problemas de instabilidade


Ainda de acordo com o levantamento do Busca Descontos, foram realizados 3.122.843 pedidos alcançando a marca de R$ 1.536.580.634. As categorias com mais transações, que alavancaram as vendas, foram Eletrodomésticos (R$ 370.853.035 milhões), Celulares e Smartphones (R$ 327.898.435 milhões), Eletrônicos (R$ 240.154.977 milhões), Informática (R$ 146.995.245 milhões) e Móveis (R$ 74.157.824 milhões). 

Propaganda enganosa liderou reclamações

O Reclame Aqui esperava cerca de 3 mil reclamações a mais neste ano, em comparação com o ano passado, o que totalizaria aproximadamente 15 mil registros. No entanto, de acordo com as estatísticas do site, a Black Friday registrou somente 4.400 reclamações até as 23h59 de sexta-feira (27).

Desde o início da madrugada, "Propaganda Enganosa" já era o motivo maior da insatisfação dos clientes em busca de descontos. Nas primeiras oito horas, o termo chegou a responder pela metade das então 1 mil queixas recebidas. Ao final do evento, as falsas ofertas continuaram na liderança e fecharam com 36,2% de representação.

Sites estáveis

No recorte de 0h à 1h, quando os acessos se intensificaram, os sites de e-commerce mais populares apresentaram boa estabilidade, o que se manteve pelo restante do dia. A exceção ficou por conta do Kabum!, cujo hotsite da Black Friday ficou fora do ar por quase 40 minutos, a maioria dos portais das grandes varejistas funcionou com lentidão – destaque para a Renner – mas de maneira aceitável. A análise foi feita pela equipe técnica da Hugme, que monitora em tempo real o comportamento dos sites nesta Black Friday.

Mais cedo, por volta das 20h da quinta-feira (26), no site CasasBahia.com.br o consumidor encontrou a mensagem "Ops! A casa ficou cheia". Quem tentou comprar nesse horário teve de esperar alguns minutos para começar a encher o carrinho. Já na PontoFrio.com.br uma mensagem parecida: "Ih, tem muita gente comprando". A Extra.com.br também apresentou problemas, mas foi a que voltou mais rápido, tirando o cliente da fila de espera.

Galeria: As empresas campeãs de reclamações na Black Friday 2015


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.