Tamanho do texto

Pouco destaque para nome de pequenos comerciantes nas Marketplaces de grandes varejistas podem confundir clientes

Entre as dicas mais importantes para a Black Friday dadas pelas associações que defendem o direito do consumidor está ficar atento ao site no qual se pretende comprar. Em geral, sites de grandes varejistas de renome são os mais seguros, mas as parcerias deles – com lojas de bem menos expressão – podem acabar comprometendo a experiência de compra da sexta-feira de mega descontos.

Parceiros menores que usam plataforma de gigantes podem não sustentar fluxo da Black Friday
Reprodução de Internet
Parceiros menores que usam plataforma de gigantes podem não sustentar fluxo da Black Friday

O alerta vem do Reclame Aqui, que diz que falta transparência aos Marketplaces (locais que funcionam como vitrines para os menores comerciantes) do e-commerce das principais gigantes do varejo. Segundo Francisco Recalde, coordenador de Marketing do site, o destaque que evidencia que se trata de um comerciante pequeno é muito pouco visível.

“Nada contra o ‘Joãozinho’ que vende o produto dele na Marketplace de uma grande loja, mas a informação não está clara [e tem que estar] para o consumidor”, afirma, acrescentando que o consumidor pode achar que está comprando de uma grande loja e depois sofrer com problemas maiores como, por exemplo, na logística de entrega.  

Por conta disso, o Reclame Aqui espera que o número de queixas desse tipo se destaque dentro das esperadas 15 mil reclamações para o dia 27. A dica é, mesmo estando em um site de grande porte, pesquisar de que fornecedor está vindo o produto. “Não é hora de apostar, de conhecer novas lojas”.

Galeria: Loucuras na Black Friday


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.