Tamanho do texto

Ficar atento a ofertas e tomar cuidado com redes sociais e sites falsos são algumas dicas para escapar de possíveis transtornos

Especialistas discutem a Black Friday de 2015 em evento; ofertas são no dia 27 de novembro
Guilherme Machado/iG São Paulo
Especialistas discutem a Black Friday de 2015 em evento; ofertas são no dia 27 de novembro

Com uma expectativa dos varejistas de faturar de R$ 978 bilhões na Black Friday deste ano – no dia 27 de novembro – o consumidor deve ficar atento para não cair em nenhum golpe e não ser prejudicado pelas empresas. Nas edições anteriores o evento foi popularmente apelidado de "black fraude" por maquiar preços ou vender sem descontos. Para ajudar o internauta o iG preparou um material com dicas para que os clientes possam aproveitar o evento sem preocupações e sem levar gato por lebre.

Faça uma pesquisa cuidadosa das empresas

O primeiro passo é ficar atento às diferentes empresas e o que elas estão oferecendo. “É uma grande oportunidade [a Black Friday] para as empresas ‘picaretas’ levarem vantagem”, afirma Mauricio Vargas, CEO do ReclameAQUI. Ele cita um caso de uma empresa chamada “Pernas Bacanas” que usou as cores da rede Pernambucanas, e acabou levando vários a comprarem seus itens como se fossem a verdadeira loja. “O consumidor desavisado pega e entra. Então o consumidor tem que pesquisar e ficar bastante atento por que vão haver oportunistas, como sempre tem, que vão levar o direito do consumidor”, declara.

Caso o consumidor acabe comprando em uma empresa fraudulenta, Vargas afirma que o Reclama Aqui não poderá ajudar o consumidor, mas reitera que a organização trará avisos para deixar os consumidores em alerta sobre questões como essa.

O órgão também desenvolveu um sistema de selos para empresas para demonstrar a confiabilidade de diferentes organizações. O selo é dado a empresas que demonstrem bons índices de atendimento no ReclameAQUI e se baseia em critérios como número de avaliações da empresa, índice de resposta e índice de solução.

O selo pode ser usado por consumidores para saber  quais empresas possuem um grau de confiabilidade certificado. Vargas destaca que a reputação demonstrada no selo é referente aos últimos seis meses e vale apenas para a Black Friday deste ano. Toda a empresa que desejar usar o selo precisa entrar em contato com o ReclameAQUI.

Vargas conta ainda que o ReclameAQUI realizará o acompanhamento das compras. Ele afirma ainda que empresas podem chegar a perder o selo no dia da Black Friday em si. “Nós vamos monitorar e qualquer alteração de preço nós vamos informar ao consumidor que a empresa, mesmo tendo o selo, cometeu uma penalidade.”, diz

Tome cuidado com redes sociais e sites falsos

O consumidor também deve ter muito cuidado ao navegar a rede para não cair no golpe de sites que simulam varejos verdadeiros. “Muitos sites são cópias. Então é importante prestar atenção no endereço, na URL, porque muitas vezes o site possui um nome parecido.”, alerta o gerente de inteligência da Clear Sale Omar Jarouche.

Há ainda a questão das redes sócias. “Existem ‘fakes’ nas mídias sociais [Facebook, Twitter] que publicando ofertas que não existem”, avisa Gisele Paula diretora de relacionamentos das empresas do ReclameAQUI. “Precisa se orientar o consumidor a pesquisar”, complementa.

Gisele afirma ainda que a plataforma Hug Me, irá monitorar tudo que se falar sobre o tema nas mídias sociais. Os dados serão divulgados via blog de duas em duas horas.  

Compare preços e verifique meios de pagamento

O diretor geral do Busca Descontos, Juliano Motta, afirma ainda que é importante comparar os diferentes preços e verificar as formas de pagamento que são disponibilizadas. “Alguns critérios básicos que se seguidos, já minimizam muito a experiência negativa que o cliente pode ter”, diz. Ele também diz que conversas com pessoas que já compraram também são importantes, para que o consumidor já tenha uma noção prévia de como pode ocorrer o atendimento de uma empresa específica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.