Tamanho do texto

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) irá alocar até US$ 460 milhões em empréstimos para financiar a reconstrução do Chile, após o terremoto de magnitude de 8,8 graus que atingiu o país em 27 de fevereiro, disse o presidente da instituição, Luis Alberto Moreno. Moreno participou da posse, em Valparaíso, do presidente do Chile, Sebastián Piñera, e visita o país andino pela primeira vez desde o terremoto.

"O BID, à comodidade do governo do presidente Sebastián Piñera, está disponível para assistir o Chile a superar este desastre em todas as áreas onde nós pudermos ser úteis", disse Moreno após se reunir com Piñera e com o novo ministro de Finanças do Chile, Felipe Larrain.

Moreno disse que o BID está pronto a redirecionar reservas já aprovadas, mas ainda não desembolsadas, para projetos do banco que estão em curso no Chile. Isso seria feito em consultas com as autoridades chilenas e os recursos iriam para a emergência e a recuperação das áreas afetadas pelo terremoto.

O representante do BID no Chile, Jaime Sujoy, explicou que existem atualmente US$ 260 milhões em reservas não desembolsadas em empréstimos do BID atualmente em execução e outros US$ 200 milhões em empréstimos para projetos que poderão ser rapidamente aprovados. O banco disse que estuda aprovar empréstimos adicionais ao Chile, disse Moreno. Uma missão técnica do BID viajará ao Chile no final deste mês para avaliar as necessidades do país. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.