Tamanho do texto

O presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke, disse que a crise do crédito representa a mais significativa crise financeira desde o período do pós-guerra, e que os mercados podem enfraquecer ainda mais se medidas não forem tomadas rapidamente. Falando em depoimento ao Comitê Econômico Conjunto do Congresso dos EUA, Bernanke disse que os mercados financeiros já estão muito frágeis, e os problemas que os atingem têm alcance global.

Ao sublinhar os problemas recentes no setor de fundos mútuos, o presidente do Fed observou que os mercados de crédito não estão funcionando normalmente, os bancos restringiram os empréstimos e as empresas não têm conseguido financiar seus projetos por meio de commercial papers.

Mesmo que os mercados se mantenham os mesmos, "haveria uma significativa retração na economia, caso nenhuma ação seja tomada", disse Bernanke, acrescentando que isso pode significar que o cidadão norte-americano teria mais dificuldades para obter empréstimos para educação, compra de automóveis e de residências. Se o crédito para essas atividades diminuir, haverá um impacto significativo na economia, alertou Bernanke. "Acredito realmente que estas seriam as conseqüências. A dor (da falta de ação) seria significativa", afirmou, acrescentando ser muito importante que o Congresso aja para reduzir a turbulência do mercado. "Seria muito difícil para a economia real se o sistema de crédito falir", afirmou. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.