Tamanho do texto

O setor público consolidado terminou o mês de setembro com superávit nominal de R$ 11,782 bilhões, segundo relatório do BC

selo

O setor público consolidado terminou o mês de setembro com superávit nominal de R$ 11,782 bilhões, segundo relatório divulgado nesta sexta-feira pelo Banco Central (BC). Tanto em agosto quanto em setembro do ano passado haviam sido registrados déficits nominais, de R$ 10,476 bilhões e R$ 22,427 bilhões, respectivamente. O resultado nominal do setor público é obtido depois de serem descontados os pagamentos dos juros da dívida pública.

No acumulado de janeiro a setembro, ainda há déficit nominal de R$ 64,233 bilhões, o correspondente a 2,47% do Produto Interno Bruto (PIB). No mesmo período do ano passado, o rombo era de R$ 87,260 bilhões, ou 3,80% do PIB. No acumulado de 12 meses até setembro, o resultado também segue negativo, em R$ 81,595 bilhões (2,36% do PIB).

Gastos com juros

Os gastos com os juros nominais do setor público somaram R$ 15,973 bilhões em setembro, segundo os dados do BC. A despesa foi levemente superior à registrada em agosto (R$ 15,698 bilhões), mas inferior à observada em setembro de 2009, quando o pagamento atingiu R$ 16,664 bilhões.

Segundo o BC, o maior pagador de juros no mês passado foi o governo central, que desembolsou R$ 9,394 bilhões. Já os governos regionais pagaram R$ 6,627 bilhões e as estatais obtiveram receita líquida de R$ 48 milhões em setembro. No acumulado dos nove primeiros meses de 2010, os gastos com juros nominais somaram R$ 139,770 bilhões, o correspondente a 5,37% do PIB. Em igual período do ano passado, a despesa correspondia a 5,45% do PIB. Nos 12 meses até setembro, o desembolso do setor público com juros somou R$ 183,935 bilhões, ou 5,33% do PIB.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.