Tamanho do texto

A inadimplência média das empresas no crédito livre subiu pelo décimo mês consecutivo em setembro e atingiu 4% das operações, segundo dados divulgados hoje pelo Banco Central. Em agosto, o porcentual dos empréstimos com atraso superior a 90 dias era de 3,9%, e em novembro de 2008, quando essa sequência de altas começou, o número estava em 1,7%.

Com a alta de setembro, a inadimplência da pessoa jurídica se mantém no pior patamar desde maio de 2001, quando estava em 4,2%.

Nos empréstimos para pessoas físicas, o movimento foi contrário e a inadimplência média caiu de 8,4% para 8,2% entre agosto e setembro, retornando ao mesmo patamar de janeiro de 2009. Essa foi a terceira queda seguida da inadimplência entre as famílias. Na média, a inadimplência das operações de crédito livre caiu de 5,9% para 5,8% entre agosto e setembro.

O crédito para a habitação cresceu 3,6% em setembro em relação a agosto, segundo o BC. O ritmo de crescimento foi mais de duas vezes superior à média do mercado, que cresceu 1,5% na mesma base de comparação. Esse setor teve a maior taxa de expansão do crédito no mês passado. No fim de setembro de 2009, o conjunto de financiamentos para a habitação somava R$ 82,716 bilhões. A cifra é 42,3% maior que a observada em setembro de 2008.

A base monetária (papel moeda emitido pelo Banco Central acrescido das reservas bancárias) teve expansão de 4,6% em setembro ante agosto, no conceito de média. Com essa expansão, a base somou no fim do mês passado R$ 145,138 bilhões. No acumulado em 12 meses até setembro, a base teve crescimento de 5,5%. No conceito de ponta, setembro teve expansão de 6,3% em relação a agosto. Com isso, o valor atingiu R$ 145,698 bilhões. Em 12 meses, a base monetária teve expansão de 6,4% nesse conceito.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.