Tamanho do texto

O pessimismo do mercado financeiro em relação à inflação de 2010 só faz crescer. De acordo com a pesquisa Focus divulgada ontem pelo Banco Central, as projeções do mercado em abril estão concentradas em 5,60%, bem superior ao centro da meta de 4,5% estipulada pelo BC.

O pessimismo do mercado financeiro em relação à inflação de 2010 só faz crescer. De acordo com a pesquisa Focus divulgada ontem pelo Banco Central, as projeções do mercado em abril estão concentradas em 5,60%, bem superior ao centro da meta de 4,5% estipulada pelo BC. Segundo a pesquisa, 25% dos cerca de 100 profissionais que participam do levantamento apontaram essa taxa como a mais provável no fim do ano. O segundo porcentual com maior incidência de estimativas atualmente é de 6%, indicado por 13% da amostragem. Há 15 semanas, a média das projeções para o IPCA de 2010 também vem subindo e, ontem, estacionou em 5,42%. Para o economista da JGP Gestão de Recursos, Fernando Rocha, há uma tendência de continuidade da elevação das estimativas nas próximas pesquisas do BC. Ele mesmo prevê uma inflação de 5,8% no fim do ano. "Não me surpreenderia com a estimativa do IPCA chegando a 6%", comentou. Isso porque, explicou, levando-se em conta que a inflação de abril ficará em 0,55%, o IPCA acumulado no primeiro quadrimestre do ano estará em 2,62%, o que significa uma taxa média mensal de 0,65%. "Se a inflação ficar em 0,4% em todos os meses a partir de agora até o fim de 2010, atingiremos exatamente 6%", calculou. E não é apenas a expectativa para o IPCA - índice oficial usado pelo governo - que está em franca aceleração. Todas as previsões para os indicadores de inflação de 2010 da Focus sofreram ajustes para cima. A alta que chama mais atenção é a do IGP-M, que avançou de 8,03% para 8,28%. No caso do IPC-Fipe, a elevação foi de 5,50% para 5,53% e a do IGP-DI, de 8,01% para 8,05%. Além disso, os analistas que participam do levantamento também acreditam agora que os preços administrados apresentarão uma taxa mais elevada em 2010, de 3,65%, em relação ao que achavam na semana anterior (3,6%). Fora a inflação, economistas também pesaram a mão em relação ao comportamento da atividade este ano. Eles acreditam que o Produto Interno Bruto (PIB) avançará 6,06% - a sétima alta consecutiva aguardada pelos profissionais nas últimas semanas. No caso da produção industrial de 2010, espera-se um aumento de 9,54% no levantamento divulgado pelo BC. <i>As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.</i>

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.