Tamanho do texto

Os barris de petróleo que serão repassados diretamente da União para a Petrobrás dentro do processo de capitalização da companhia deverão vir de dois reservatórios gigantes e não mais de áreas contíguas às descobertas já realizadas. O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Haroldo Lima, informou ontem que a reguladora já definiu as áreas em que as perfurações serão feitas a partir da primeira semana de dezembro, visando encontrar os cinco bilhões de barris que fazem parte da cessão onerosa.

"Começamos com um número grande de áreas sendo avaliadas, umas 20, depois reduzimos e chegamos a duas áreas. Agora não dá mais para mudar", disse. Os custos destas perfurações devem chegar a R$ 500 milhões. Serão usadas duas sondas de perfuração de propriedade da Petrobrás na operação. A estatal foi contratada pela ANP para realizar este serviço.

O diretor-geral afirmou que o objetivo da reguladora é localizar novos reservatórios gigantes, com algo entre 2 bilhões a 3 bilhões de barris potenciais em cada um deles.

Há ainda a possibilidade de uma terceira área ser perfurada caso uma das duas não apresente o sucesso esperado.

Lima também destacou que até o fim do ano, o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) deve definir as áreas a serem ofertadas na 11.ª Rodada da ANP, e também a data que deve ocorrer este leilão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.