Tamanho do texto

Estatal turbina financiamento para empresas e pessoas físicas, como antecipou o iG

O Banco do Brasil colocará R$ 43,1 bilhões a mais em crédito para o consumidor, micro, pequenas e médias empresas. O montante foi anunciado nesta quarta-feira pela instituição estatal, como havia antecipado o iG Economia .

Serão R$ 26,8 bilhões em financiamento disponibilizados às empresas e R$ 16,3 bilhões para pessoas físicas, dentro do programa BOMPRATODOS.

Segundo o BB, a medida integra o conjunto de medidas tomadas pelo banco para estimular a redução das taxas de juros de linhas de crédito.

Leia também: “BB escolhe países para atuar na economia local”, diz Caffarelli

O governo federal tem usado o BB para forçar os bancos privados a reduzirem o spread bancário (diferença do juros cobrado pelos bancos sobre o valor que eles pagam como rendimento ao dinheiro tomado de correntistas para emprestar). “Vamos reduzir os spreads, aumentar a oferta de crédito, estimular o uso consciente do crédito e ainda atrair novos clientes no contexto da Livre Opção Bancária”, disse em nota o presidente do BB, Aldemir Bendine.

O anúncio ocorre um dia após a presidenta Dilma Rousseff criticar as altas taxas de juros praticadas pelo bancos privados . “É necessário fazer uma discussão no Brasil sobre o spread. Tecnicamente, é difícil explicar as taxas de spread no país”, criticou.

Leia também: Governo anuncia pacote de R$ 60,4 bi de incentivos para empresas

Corte nos juros
O Banco do Brasil vai reduzir em 19% os juros para financiamento de veículo a clientes, que poderão tomar empréstimo para compra de carros a partir de 0,99% ao mês.

Na ponta do consumo, as linhas para aquisição de bens e serviços serão reduzidas em média 45%, incluindo mais facilidade para utilização do limite dos cartões Ourocard Crediário na compra de eletroeletrônicos, materiais de construção, serviços de turismo, equipamentos de informática.

Para beneficiários do INSS, as taxas do crédito consignado ficam entre 0,85% e 1,80% ao mês.

Os cortes nos juros para clientes deve esquentar a disputa por clientes com os bancos privados. Isto porque, o BB vai reduzir as taxas do cartão de crédito de 12,25% para 8% ao mês a correntistas que contratarem pacotes de serviços da instituição estatal.

Capital de giro mais barato
As micro e pequenas empresas terão a taxa sobre a tomada de empréstimo para capital de giro reduzida em 15%, com alíquota mensal de 0,96%.

Os valores das vendas a prazo com cheques pré-datados, duplicatas e cartões de crédito poderão ser antecipados com encargos a partir de 1,26% ao mês.

Já o cartão Ourocard Empresarial Giro terão taxa de taxa de 3% no rotativo, com a promessa de em breve poder acessar diretamente a linha de capital de giro no momento das compras.