Tamanho do texto

O Banco Central lança na quarta-feira uma campanha publicitária para tentar diminuir a circulação de cédulas falsificadas e estimular o uso de moedas. A campanha Nosso Dinheiro será veiculada até o fim do ano na televisão, rádio, revistas e internet e tem custo de R$ 12 milhões.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577281981&_c_=MiGComponente_C

Na campanha, o BC quer ampliar o conhecimento da população sobre a verificação das cédulas para checar a autenticidade das notas. A intenção é mostrar os procedimentos para descobrir se o dinheiro é falso e tentar acabar com o constrangimento que os comerciantes têm em verificar as cédulas na frente do cliente. Pesquisa recente mostra que 59% das cédulas falsificadas eram de R$ 50 e mais da metade desses casos aconteceu no Sudeste do Brasil.

A autoridade monetária também vai incentivar o uso de moedas no cotidiano. Segundo o BC, o hábito de deixar as moedas guardadas obriga a instituição a encomendar permanentemente mais peças junto à Casa da Moeda, aumentando o gasto público. Atualmente, existem 15,1 bilhões de moedas metálicas em circulação, cerca de 79 unidades por brasileiro. Porém, o BC acredita que menos de 50% dessas moedas estejam efetivamente em circulação.

Leia mais sobre Banco Central

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.