Tamanho do texto

O Banco do Japão (BOJ, banco central do país) suavizou sua política monetária numa reunião convocada às pressas nesta terça-feira em meio à crescente preocupação de que a deflação e a valorização do iene possam comprometer a frágil recuperação econômica japonesa. Os membros do conselho do BOJ decidiram por unanimidade deixar a taxa básica de juros em 0,1%, nível em que ela tem sido mantida desde dezembro de 2008, mas concordaram em injetar mais dinheiro no sistema financeiro.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237574236129&_c_=MiGComponente_C

O banco central emprestará até 10 trilhões de ienes (US$ 114,984 bilhões) em recursos com prazo de três meses, à taxa de 0,1%, aceitando, como colateral, bônus do governo japonês, bônus corporativos, commercial paper e contratos de empréstimos.

A nova linha de crédito deve "aumentar ainda mais o alívio das condições monetárias" e destina-se a "estimular um declínio adicional nas taxas de juros de longo prazo", segundo o comunicado do BOJ. O banco afirmou que é importante agir agora para ajudar a tirar a economia da deflação e prometeu cooperar com o governo para tentar ressuscitar a economia. As informações são da Dow Jones.

Leia mais sobre: Japão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.