Tamanho do texto

Pedidos iniciais do auxílio tiveram queda de 14 mil solicitações na semana passada

Os novos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos caíram na semana passada e voltaram para o menor nível em quatro anos, de acordo com relatório do Departamento do Trabalho divulgado nesta quinta-feira, que sugeriu que o mercado de trabalho está ganhando mais força.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego tiveram queda de 14 mil solicitações, para 351 mil em números sazonalmente ajustados, voltando para o menor patamar em quatro anos atingido em fevereiro.

O dado da semana anterior foi revisado para cima, para 365 mil, de 362 mil informados previamente.A média móvel de quatro semanas, considerada uma medida melhor das tendências do mercado de trabalho, manteve-se em 355.750.

As primeiras solicitações para auxílio-desemprego têm ficado presas em uma margem apertada desde o meio de fevereiro, um sinal esperançoso para o mercado de trabalho, que registrou três meses seguidos de abertura de empregos acima de 200 mil.

A taxa de desemprego ficou estável na mínima em três anos de 8,3% em fevereiro. Embora o Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, tenha reconhecido na terça-feira a recente melhora no mercado de trabalho, ele continuou preocupado com a ainda alta taxa de desemprego.

O Fed disse esperar que a taxa de desemprego, que caiu 0,8 ponto percentual desde agosto, recue "gradualmente". O número de pessoas que ainda estão recebendo benefícios sob programas regulares do Estado após a primeira semana de ajuda caiu em 81 mil, para 3,34 milhões na semana encerrada em 3 de março -o menor nível desde agosto de 2008.

Apesar da melhora do cenário no mercado de trablho, o desemprego no longo prazo continua sendo um grande problema e cerca de 43% dos 12,8 milhões de norte-americanos desempregados em fevereiro estão sem trabalho há mais de seis meses.

O número de norte-americanos sob auxílio-desemprego emergencial caiu em 53.415, para 2,88 milhões na semana encerrada em 25 de fevereiro, a última semana em que os dados estão disponíveis.

Um total de 7,42 milhões de pessoas estavam solicitando auxílio-desemprego durante aquele período sob todos os programas, uma alta de 36.392 ante a semana anterior.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.