Tamanho do texto

Paris, 18 nov (EFE).- A atividade da companhia aérea Air France voltou hoje à normalidade quase total, após uma greve de quatro dias que, segundo as estimativas iniciais, custará cerca de 100 milhões de euros à empresa francesa.

Um porta-voz da Air France disse que aproximadamente 5% dos vôos de curta e média distâncias (conexões internas, européias ou com o norte da África) tiveram de ser cancelados esta manhã devido aos ajustes após a greve, que terminou no fim da noite da segunda-feira.

Nas conexões de longa distância, não houve nenhum cancelamento, ressaltou o porta-voz.

O presidente da companhia aérea, Jean-Cyril Spinetta, havia calculado que os quatro dias da greve convocada pelos sindicatos dos pilotos custariam ao grupo cerca de 100 milhões de euros.

O motivo do protesto foi uma emenda parlamentar ao orçamento da Previdência Social que eleva a idade de aposentadoria dos pilotos de 60 para 65 anos.

A emenda foi votada na noite de ontem pelo Senado, após ser modificada na semana passada para tentar conter a greve, o que não foi alcançado, apesar da correção ter sido submetida, no sábado, às bases do Sindicato Nacional dos Pilotos de Linha (SNPL).

A redação do texto adotado pela Câmara Alta (com 200 senadores da direita a favor e 139 de esquerda contra) "garante aos pilotos a possibilidade de poder parar sua atividade aos 60 anos, como agora".

No entanto, também permite que eles, caso queiram, "continuem sua carreira entre 60 e 65 anos com a garantia de poder, em qualquer momento, parar sua atividade nas mesmas condições financeiras de hoje em dia". EFE ac/fh/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.