Tamanho do texto

Ao elogiar o Brasil, Axl Rose engrossa lista de opiniões (nem sempre bem fundamentadas) dos famosos sobre o cenário econômico

Foi Axl Rose que escreveu: "Quem sabe o que diabos significa essa porcaria sobre a dívida? Mas o Brasil parece estar muito bem. Faz sentido que as pessoas estejam indo para o espaço sideral". A declaração partiu da mesma pena que pariu versos como "policiais e crioulos, saiam do meu caminho. Não quero comprar nenhuma de suas correntes de ouro hoje". É bom dar ouvidos ao roqueiro. Com um sucesso ainda grande no Brasil (e nem tão grande assim no restante do mundo, já que o auge da banda ocorreu há 20 anos), ele parece saber o que fala.

Exibida na semana passada na conta do Guns n' Roses, a banda de Rose, no Facebook, a frase engrossa a lista das manifestações de celebridades sobre temas econômicos, bem mais frequentes desde 2008, quando estourou a crise global. Nem todas as opiniões são exatamente bem fundamentadas, para dizer o mínimo, mas é justamente nessas que, sob um cenário de tensão nos mercados financeiros, temor de recessão global e mesmo de derrocada da moeda única europeia, se encontra algum respiro.

Em 2008, na eclosão da turbulência na indústria imobiliária norte-americana, a quem se podia recorrer por uma palavra de sabedoria? Paris Hilton foi a resposta de alguns. Consultada sobre alternativas para enfrentar a crise, a patricinha saiu-se com essa: "Vocês deveriam usar cores felizes". Como Paris viria a se revelar uma astuta mulher de negócios , também ela parece saber o que fala.

Nem todas as declarações são às veras - mas a impressão, em algumas situações, é que a resposta em tom de piada seria a mesma se fosse dada com ar circunspecto. " Justin Bieber " disse o seguinte sobre a crise: "Temos que apontar o dedo para Alan Greenspan. O cara baixou as taxas federais para, tipo, 1%. Isso vai causar uma inflação maluca no mercado de imóveis". O "Justin Bieber" em questão foi, na verdade, uma imitação do cantor adolescente feita pelo ator Jimmy Fallon no canal NBC, no qual Fallon tem um talk show.

Também de brincadeira, as atrizes Natalie Portman (de Guerra nas Estrelas e Cisne Negro ) e Rashida Jones (de A Rede Social ) deram seu vaticínio sobre esses tempos bicudos. "A crise finaceira global está afetando todos nós. O pânico em Wall Sreet agora chegou aos lugares comuns, não parece haver uma resposta clara e o pior ainda está por vir", dizem elas com semblante cerrado. "Após muita análise, encontramos o melhor caminho a seguir: filhotinhos!"

E dada a revelação, as duas refestelam-se, sorridentes, com pequenos cachorrinhos. Pode não tapar um buraco de US$ 1,5 trilhão no orçamento dos EUA (motivo da elevação do teto da dívida do país , decidida nesta semana), mas ter por perto uma Natalie Portman brincando com cachorrinhos certamente deve fazer um bem danado.

Leia mais:

- Os EUA têm histórico esquecido de calotes

- Teto da dívida dos EUA foi elevado 35 vezes em 30 anos

- Brasil ignora corrida do ouro

- Entenda a votação do teto da dívida americana

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas