Tamanho do texto

BUENOS AIRES - O governo argentino determinou a suspensão temporária dos embarques de carne resfriada e congelada ao exterior, em uma medida de emergência para forçar a queda dos preços no mercado interno. O Escritório Nacional de Controle Comercial Agropecuário (Oncca) não confirmou oficialmente o fechamento das exportações, mas a medida está válida desde sábado e não tem prazo, segundo frigoríficos e associações rurais.

O preço dos cortes mais populares de carne acumula aumentos de 35% a 40%, nos açougues e supermercados, somente neste ano. A alta tem provocado críticas ao governo, já que a Argentina é o país mais carnívoro do mundo, com consumo anual per capita de 73 quilos - Uruguai e Estados Unidos vêm em seguida. Os brasileiros consomem, em média, pouco mais do que a metade disso.

A única exceção ao bloqueio das exportações são os embarques da Cota Hilton, pela qual cortes nobres são vendidos à União Europeia com tarifas reduzidas. O efeito da medida é colocado em dúvida pelos analistas, uma vez que há um problema de oferta: o estoque argentino diminuiu de 60 milhões para 51 milhões de cabeças nos últimos três anos. Em 2009, as exportações cresceram quase 10%, mas os especialistas atribuem a expansão ao abate de animais jovens e de fêmeas -- sinônimo de descapitalização dos pecuaristas.

(Daniel Rittner | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.