Tamanho do texto

Por Jenifer Corrêa SÃO PAULO (Reuters) - Mesmo após uma série de atuações do Banco Central, o dólar cravou a terceira alta seguida frente ao real nesta quarta-feira ao acompanhar o pessimismo dos mercados acionários globais.

A moeda norte-americana fechou a 2,349 reais, em alta de 0,95 por cento, depois de ter chegado a subir 1,5 por cento na máxima do dia e a cair 0,90 por cento pela manhã.

Na semana, o dólar acumula avanço de mais de 3 por cento.

Durante a primeira parte da sessão, predominou a queda do dólar frente ao real. Mas a piora do cenário externo não foi ignorada.

"O mal-estar é muito maior que isso... as notícias são péssimas", observou Alberto Dwec, gerente de câmbio da corretora Souza Barros, acrescentando que as dificuldades globais devem persistir no primeiro semestre de 2009.

A quarta-feira contou com a divulgação de mais dados econômicos negativos, como a queda nas vendas do varejo dos Estados Unidos, o pedido de proteção contra falência da Nortel Networks e o menor crescimento econômico na Alemanha em três anos.

Após a queda de mais de 4 por cento do principal índice de ações europeias, as bolsas de valores norte-americanas caíam mais de 3 por cento e eram acompanhadas de perto pelo Ibovespa, que cedia quase 4 por cento.

Nesse contexto, o Banco Central vendeu 1,276 bilhão de dólares em dois leilões para o financiamento de emportações, além de realizar um leilão de venda de dólares no mercado à vista.

Ainda nesta sessão, o BC divulgou os dados iniciais do fluxo cambial do país em 2009. Nos seis primeiros dias úteis de janeiro, o Brasil registrou saída líquida de 873 milhões de dólares.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.