Tamanho do texto

Fantoche, Cabeção ou Espumante são algumas maneiras como grandes companhias americanas chamam seus consumidores mais frequentes

Você é um fantoche ou um Clancy? Um Cabeção ou um Clampett?

Pode ser que você não saiba, mas um deles você certamente é. Estes são os nomes poucos lisonjeiros usados como apelidos por uma série de empresas americanas para descrever alguns de seus clientes.

Leia também: Executivo critica Goldman Sachs em carta de demissão

Os apelidos pejorativos de Wall Street vieram à tona na no início de março, depois que um director executivo da Goldman Sachs, em seu último dia na empresa, escreveu uma coluna editorial no The New York Times na qual disse que o banco de investimentos muitas vezes ridiculariza seus clientes chamando-os de "Muppets".

Executivos de alto escalão do Goldman Sachs reafirmaram em uma mensagem a seus funcionários que a empresa tem uma cultura "orientada aos seus clientes". Ainda assim, se algumas pessoas dentro do banco usam termos pejorativos para se referir aos seus clientes, elas não estão sozinhas.

Executivos de publicidade chamam de "cabeções" as pessoas que aprovam tudo o que um chefe diz ou faz. Os comissários de bordo chamam o viajante frequente de "Clampett", em homenagem ao programa "The Beverly Hillbillies".

Alguns apelidos podem obviamente ser inofensivos. Quando empreiteiros da defesa chamam seus clientes de "combatentes", há o orgulho associado a esse termo.

Mas apelidos em outros contextos podem ter um significado muito mais sombtio, disse Lindsay Thompson, professora da Escola de Negócios Johns Hopkins Carey.

"Você pode interpretar o lado feio disso", disse Thompson. "Por que mais você chamaria alguém de 'Muppet' senãor para para minimizá-lo?"

Alguns funcionários do setor ferroviário chamam os entusiastas de trens de "espumantes", porque parece que eles espumam pela boca quando estão perto de trens antigos.

Mas é difícil superar o humor negro de Wall Street. Em um email, um ex-corretor de ações de Wall Street, que agora trabalha independente e não quis se identificar, disse que os clientes muitas vezes são chamados de "pikers" (peixe pequeno), "marks" (presa fácil) ou "pawns" (peões, aqueles que fazem qualquer coisa sem perguntar nada, não importa o quão ridículo).

Por Julie Creswell

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.