Tamanho do texto

A Volkswagen iniciou a segunda chamada à oficina para reparo da linha Fox. Em vigor desde o início de junho, o objetivo do recall é consertar o sistema de rebatimento do banco traseiro de Fox, CrossFox e SpaceFox, cujo manuseio teria causado ferimentos (inclusive mutilação de dedos) em 26 pessoas.

Trata-se do maior recall da história no País. Inclui 511.116 veículos, mas a troca da peça ocorrerá apenas em 293.199 unidades (com banco corrediço e inteiriço). Nos demais, haverá avaliação do sistema.

Embora a VW não divulgue balanço da operação, de acordo com concessionários, passados dois meses de seu início, a procura caiu. "A média de atendimentos tem sido constante porque, em geral, quando o cliente traz o Fox para revisão, aproveitamos para instalar o dispositivo que aumenta a segurança no manuseio do sistema", diz Bruno Rossi, consultor da autorizada Brasilwagen.

Conforme determina a lei, o recall ocorrerá por período indeterminado. A VW informa que estará à disposição dos clientes até que todos os modelos sejam reparados.

Usados

Os proprietários de modelos convocados não são obrigados a atender o chamado da fabricante. Por isso, na hora de adquirir um carro usado é importante conferir se ele passou por algum chamado. Em caso afirmativo, deve-se checar se o conserto foi realizado.

As fabricantes têm obrigação de eliminar o defeito (sem custo para o cliente) independentemente de quem for o proprietário. "O comprador do usado deve consultar os sites de órgãos como Procon e DPDC, ou ligar para a central de atendimento da fabricante para checar se o número do chassi do carro está na lista de convocados", diz Igor Apanavícius, técnico do Procon-SP.

Não existe um certificado padrão que comprove a execução do reparo pela fabricante. Mas o cliente tem direito de exigir um documento ou carimbo no manual do proprietário que ateste a realização do conserto.

A melhor forma de constatar se o serviço foi efetuado é acionando as centrais de atendimento das montadoras. Para isso é preciso saber o número do chassi e placa do carro.

"Quando há anúncio de recall, orientamos os revendedores a verificar se eles têm carros convocados no estoque (novos ou usados). Se for o caso, eles devem providenciar o reparo ou checar se este foi realizado pelo antigo dono", diz George Chahade, presidente da Assovesp, que reúne lojistas independentes do Estado.

De 2000 a 2008 houve 4,6 milhões de veículos envolvidos em recalls no País, conforme o site Estradas, que reúne informações sobre essas ocorrências. Só neste ano foram feitas 818.251 convocações. A GM lidera a lista, com mais de 2 milhões de modelos chamados desde 2000. A VW é a segunda.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.