Tamanho do texto

Ribeirão Preto, 1 - O presidente da Associação dos Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar), Anísio Tormena, foi reeleito para um novo mandato, no período 2009-2012. No comando da Alcopar desde 1990, Tormena compara o atual momento de crise com o vivido à época em que assumiu o cargo.

Segundo ele, a falta de liquidez do mercado internacional afetou a demanda externa por etanol. Ao mesmo tempo, as usinas recebem valores baixos pelo combustível no mercado interno e são obrigadas desovar estoques para fazer caixa. "A decisão de liberar R$ 2,5 bilhões para estocagem, divulgada na semana passada, faz parte de um conjunto de soluções".

Tormena, que também é coordenador do Fórum Nacional de Lideranças do Setor Sucroalcooleiro e diretor da Usina Coopcana de Paraíso do Norte (PR), vai responder ainda pela presidência de outras três entidades ligadas ao segmento: o Sindicato da Indústria de Açúcar do Estado do Paraná, o Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool do Estado do Paraná, e o Sindicato da Indústria de Produção de Biodiesel do Estado do Paraná.

Segundo ele, as 400 usinas brasileiras podem ter um cenário mais favorável para 2009, mas como a maior parte delas realizou projetos de expansão para ter escala e atender ao mercado, o endividamento pode prejudicar o resultado positivo esperado. Segundo maior produtor de cana do País, o Paraná tem 30 usinas que devem colher 53 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2009/10. Na safra anterior o Estado registrou a colheita de 44,6 milhões de toneladas, para uma produção de 3,4 milhões de toneladas de açúcar e 2,3 bilhões de litros de álcool.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.