Tamanho do texto

SÃO PAULO - Diante do reduzido volume de encomendas para este ano, a fabricante de vagões ferroviários Iochpe-Maxion já trabalha na adequação de seu quadro de funcionários à nova realidade econômica, o que deverá acarretar em demissões. Hoje pela manhã, durante o telejornal Bom Dia Brasil, da TV Globo, a jornalista Miriam Leitão mencionou que o corte na Iochpe-Maxion poderia atingir mais de 1 mil funcionários.

Procurado pelo Valor Online, o diretor-financeiro e de Relações com Investidores da empresa, Oscar Becker, disse que não desmente o número, mas também não confirma.

Ele afirmou apenas que a empresa está monitorando o mercado e que as demissões irão depender do cenário que se apresentar. "Estou em período de ajustes. Vamos ver como a coisa vai andar. Ainda não tenho uma visão para 2009", disse o executivo.

Assim como boa parte do empresariado nacional, ele tem a expectativa de que a economia apresente sinais de recuperação a partir do segundo semestre deste ano, porém preferiu não arriscar palpites. "Dependo de terceiros, da demanda dos meus clientes. Não vendo um produto de prateleira", resumiu Becker.

Em comunicado ao mercado, a Iochpe-Maxion informou que sua carteira de pedidos para 2009 conta hoje com apenas 446 vagões encomendados, contra 4.615 unidades solicitadas na mesma época do ano passado.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.