Tamanho do texto

Brasília - Apesar dos reflexos globais da crise financeira, empresas em todo o mundo podem encontrar oportunidades de crescimento em meio aos cerca de 3,7 bilhões de pessoas que fazem parte da chamada ¿base da pirâmide¿ econômica. A estratégia é indicada pelo Fórum Econômico Mundial ¿ que ocorre em Davos, na Suíça ¿ como promissora caso o foco das empresas seja beneficiar comunidades específicas, como fazendeiros, por exemplo.

Empresas inovadoras estão encontrando estratégias por meio do engajamento da base da pirâmide em suas valiosas cadeias econômicas, oferecendo sustentabilidade e segurança alimentar para comunidades pobres, mostra o estudo.

A publicação, denominada "Os próximos bilhões", registra a participação de mais de 150 líderes do ramo empresarial e de mais de 200 estudos de caso na área, desenvolvida em parceria com o Grupo de Consultoria de Boston e com o apoio da Fundação Bill & e Melinda Gates.

A proposta central do estudo é o engajamento de nichos que fazem parte da base da pirâmide em estratégias de negócio que perpassem por todos os setores da indústria. O fórum indica um potencial de crescimento empresarial de 8% nesse mercado.

Um dos destaques da publicação é a cadeia alimentícia ¿ desde a produção agrícola, passando pelo processamento do alimento, até o consumo. De acordo com os dados divulgados, o setor é responsável por 70% da atividade econômica presente na base da pirâmide.

As empresas podem usar tais oportunidades ao adotar estratégias que descubram valores e novos parceiros na base da pirâmide. O setor de telecomunicações, por exemplo, desenvolveu tecnologias que reduzem o custo e que levam o serviço até áreas remotas, cita a publicação.

Leia mais sobre Fórum Econômico Mundial

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.