Tamanho do texto

Genebra, 2 - Produtores de algodão da África alertaram ontem que podem encaminhar uma reclamação à Organização Mundial de Comércio (OMC) contra os Estados Unidos se uma disputa sobre subsídios pagos aos agricultores norte-americanos não for solucionada. O C4 não pode excluir a utilização de ferramentas judiciais a sua disposição na OMC caso não haja uma solução, disse Mamadou Sanou.

Ministro de Comércio de Burkina Faso, referindo-se a um grupo de quatro países africanos produtores de algodão: Benin, Mali, Chad e Burkina Faso.

"No momento estamos sendo pacientes, mas não iremos esperar para sempre", afirmou Sanou durante uma reunião ministerial da OMC, em Genebra. "Nós mostramos nossa disposição para negociar... Mas se não estivermos satisfeitos, podemos apelar ao órgão de resolução de disputas."

Produtores da fibra no oeste da África têm lutado para que a commodity seja incluída nas negociações de comércio da Rodada de Doha. Eles querem que países industrializados, particularmente os Estados Unidos, reduzam os subsídios domésticos que as nações africanas dizem depreciar os preços mundiais do algodão às custas dos países mais pobres.

O ministro de Comércio de Benin, Christine Ouinsavi, afirmou que a "luta já dura há muito tempo", observando que os produtores da fibra fizeram uma proposta sobre o assunto há um ano, mas Washington ainda precisa responder.

Os Estados Unidos já perderam um caso anterior na OMC sobre subsídios de algodão. Em novembro, o Brasil ganhou autorização do órgão para começar a impor sanções alcançando milhões de dólares ao ano para os Estados Unidos por subsídios injustos concedidos ao produto norte-americano. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.