Tamanho do texto

Paris, 14 abr (EFE).- As agências de notícias "AFP", "Reuters", "AP" e "Getty" vão boicotar amanhã a cobertura de imprensa da apresentação da seleção dos filmes do Festival de Cannes em protesto às restrições que os organizadores poderiam impor nas imagens de vídeo.

Paris, 14 abr (EFE).- As agências de notícias "AFP", "Reuters", "AP" e "Getty" vão boicotar amanhã a cobertura de imprensa da apresentação da seleção dos filmes do Festival de Cannes em protesto às restrições que os organizadores poderiam impor nas imagens de vídeo. O boicote fará com que não sejam divulgadas nem imagens nem textos da entrevista coletiva de amanhã. O protesto busca saber se haverá mudanças na gestão dos direitos de imagem durante o Festival de Cannes, que será realizada entre 12 e 23 de maio, explicou à Agência Efe o diretor de Informação da "AFP", Philippe Massonnet. "Esperamos que os organizadores nos digam oficialmente se haverá restrições", assinalou Massonet. Ele advertiu que "se as restrições forem efetivas, serão inaceitáveis". Para o diretor da "AFP", por enquanto as agências só tiveram "uma informação informal", mas não quis entrar em seu conteúdo, além de constatar que há negociações entre a organização do Festival de Cannes, a rede de televisão "Canal Plus" e o operador de telecomunicações Orange. A "AFP", que como as outras três agências não vai transmitir notícias sobre a seleção do Festival, prevê que os organizadores do evento terão de dar respostas amanhã aos jornalistas que os perguntarem sobre esta polêmica. Questionado sobre se a pressão irá além do ato de amanhã, Massonnet respondeu que "em princípio se faz este boicote" e "depois veremos". Faltando um anúncio oficial das partes, há informações que dão a entender que o Festival de Cannes, o "Canal Plus" e o operador Orange estabeleceram acordos de monopólio para a divulgação de imagens de uma série de eventos do Festival, como a chegada das estrelas e seu percurso pelo tapete vermelho. EFE ac/sa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.