Tamanho do texto

"Acreditamos e vamos provar no julgamento que o senhor Strauss-Kahn e inocente", diz advogado

O tribunal de Nova York negou, nesta segunda-feira (16/05), o pedido de Dominique Strauss-Kahn para responder as acusações de assédio sexual e estupro em liberdade. 

Mas o advogado do diretor geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), frisou que a defesa vai ser vigorosa e que a batalha na corte está só começando. 

O advogado Benjamin Brafman se mostrou indignado com a decisão judicial. "Estamos desapontados com a decisão da corte", declarou. 

Segundo ele, a batalha está apenas no começo. "Acreditamos e vamos provar no julgamento que o senhor Strauss-Kahn é inocente. Não acreditamos que ele teve a intenção de escapar da Justiça. A principal vontade dele é limpar e restabelecer seu bom nome", afirmou Brafman. 

Para o advogado, até que provem o contrário, meu cliente é inocente. "Peço a cada um de vocês que lhe dêem o benefício da dúvida para possamos ter um julgamento justo", disse. 

De acordo com Brafman, a defesa vai rever a decisão de não soltura, para ver se cabe recurso.