Tamanho do texto

A São Martinho, terceira maior produtora de açúcar do País, anunciou nesta quinta-feira acordo com a americana Amyris para a fabricação de ¿especialidades químicas¿ derivadas da cana-de-açúcar com o qual pretende não apenas diversificar suas áreas de atuação, mas também ampliar a oferta de produtos de maior valor agregado. Sob a parceria, as empresas produzirão uma molécula que é matéria-prima para indústrias como as de cosméticos e óleos sintéticos.

O plano de diversificação foi elaborado há cerca de um ano e meio, segundo João Carvalho do Val, diretor financeiro e de relações com investidores da São Martinho. Antes de fechar o acordo com a Amyris, a São Martinho comprou, por US$ 14,07 milhões, os 10% da Usina Boa Vista que estavam nas mãos da japonesa Mitsubishi ¿ a nova linha de especialidades químicas será fabricada na Boa Vista. A Amyris ficará com 40% da unidade, em uma operação que envolverá desembolso em dinheiro e troca de ações.

Neste ano, a São Martinho chegou a negociar a compra do controle da Santelisa Vale, a segunda maior companhia sucroalcooleira do País, mas a venda acabou sendo feita para o grupo francês Louis Dreyfus. O diretor João do Val disse que, no momento, nenhuma negociação do gênero está em andamento com outras empresas do setor, mas que, se aparecer uma boa oportunidade (de negócio), uma oferta pode voltar a ser feita.

A São Martinho encerrou o segundo trimestre da atual safra (2009/10) de cana com receita líquida de R$ 308,1 milhões, montante 41,8% superior ao do mesmo período do ano passado. O lucro líquido foi de R$ 21,3 milhões, um contraste com a perda de R$ 44,4 milhões reportada no segundo trimestre do ciclo 2008/09. Com a baixa de 0,76%, suas ações fecharam nesta quinta-feira na Bovespa negociadas por R$ 17,01. No ano, em contrapartida, a alta acumulada é superior a 85%.

Leia mais sobre: São Martinho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.